Publicidade

A barreira instalada na divisa de Poços de Caldas com o estado de São Paulo não tem previsão de término. Segundo a Polícia Militar Rodoviária, não foi encontrado nenhum líder entre os manifestantes.
O tenente José Irys da Cruz, da Polícia Militar Rodoviária, conta que as primeiras mobilizações de paralisação começaram às 20h e imediatamente equipes foram enviadas para o local.
“Temos mantido a postura de garantir que haja ordem e desde que as barreiras foram instaladas não tivemos registros de desordem ou problemas com os manifestantes. A pista está parcialmente liberada, onde veículos de passeios estão circulando normalmente”, explicou o militar.
O tenente ainda disse que conversou com um grupo de manifestantes, mas não identificou uma liderança. Apesar de não haver prazo para término, a expectativa é que o ato termine em breve. “Não tivemos uma previsão a esse respeito. Não conseguimos esse posicionamento porque não identificamos uma liderança clara. Acreditamos que se aqui seguir a trajetória de outras manifestações no país é provável que ela seja desarticulada em breve”.
Além da falta de liderança, há divergências entre os manifestantes. A reportagem do Poços Já esteve no local e ouviu relatos da existência de caminhões com produtos perecíveis impedidos de passar e também de tumulto entre os manifestantes por conta de discordâncias sobre as causas do protesto.
Na manhã desta quinta-feira (9) um novo ponto de barreira começou a ser instalado nas proximidades do posto da Polícia Rodoviária Federal, na Rodovia do Contorno.


Quer receber as notícias do Poços Já direto no WhatsApp?

Clique aqui e entre em um de nossos grupos.