O empresário Paulo Molinari, acusado de estuprar a própria filha ao longo dos últimos 18 anos, teve a prisão temporária convertida em preventiva e continua preso. Ele está no presídio de Poços de Caldas desde o dia 26.

Acusado está à disposição da justiça no presídio local (foto: arquivo Câmara Poços)
Publicidade

De acordo com a Polícia Civil, o pedido de prisão preventiva foi deferido e o mandado formalmente cumprido na terça-feira (6). O inquérito já está concluído e foi remetido ao fórum.

O caso

Paulo Molinari foi preso em casa, no dia 17 de março, quando policiais civis cumpriram contra ele um mandado de prisão temporária expedido após a filha, de 25 anos, procurar a delegacia e apresentar acusações de estupro praticadas pelo pai. Além de relatar que os assédios começaram ainda na infância, aos 8 anos de idade, ela ainda disse que foi estuprada pela primeira vez aos nove e seguiu assim até a fase adulta. A vítima pontuou ainda que era constantemente ameaçada pelo pai, motivo que a fez se calar por tantos anos.

Ainda de acordo com a filha, a denúncia aconteceu após a mãe dela, com quem o pai teve um relacionamento extraconjugal, descobrir um pen drive no qual ela armazenava imagens de um dos crimes. A jovem disse ainda, durante o registro do boletim de ocorrência, que os abusos aconteceram inclusive quando ela estava grávida.


Quer receber as notícias do Poços Já direto no WhatsApp?

Clique aqui e entre em um de nossos grupos.