O ex-jogador da Caldense, Guilherme Noé, é uma das vítimas fatais da queda de um avião em Tocatins, no último domingo (24). Atualmente jogando no Palmas Futebol e Regatas, o zagueiro de 28 anos estava acompanhado dos atletas Lucas Praxedes (23 anos), Ranule (27), e Marcus Molinari (23), do presidente do clube Lucas Meira (de 32 anos), além do piloto da aeronave, Wagner Machado.

Publicidade

Guilherme defendeu o meio de campo da Veterana na Série D em 2016. Assim que soube do caso, a Associação Atlética Caldense lamentou o acidente e manifestou pesar aos amigos e familiares.

O zagueiro e os outros três atletas não acompanharam o restante da equipe, que seguiriam em um avião comercial mais tarde, pois haviam testado positivo para covid-19 e terminariam o prazo de isolamento no domingo, estando liberados para atuarem na segunda-feira.

O acidente

A queda do avião ocorreu por volta das 8h30 do último domingo (24). Testemunhas disseram que o choque com o solo aconteceu segundos após a tentativa de decolagem e que logo em seguida houve duas explosões.

O avião tinha como destino Goiânia, onde a equipe enfrentaria o Vila Nova, pela Copa Verde.

As causas do acidente ainda são desconhecidas. Uma equipe do Sexto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA VI) vai conduzir as investigações.

 


Quer receber as notícias do Poços Já direto no WhatsApp?

Clique aqui e entre em um de nossos grupos.