O Fórum de Poços de Caldas realiza nesta quinta-feira (6) o julgamento de Ronaldo Aparecido Bruno, autor confesso do homicídio de Elissandro Basso, o “Limão”, em 7 de julho do ano passado. Ele disse ter cometido o crime após a vítima ter se negado a pagar por um programa sexual, realizado com a companheira de Ronaldo.

Ronaldo confessou ter praticado o crime ao lado da companheira

Em razão da pandemia de coronavírus a sessão será realizada em meio virtual. Ministério Público, defesa, réu, testemunhas e também jurados participam da sessão por meio de uma plataforma eletrônica e seguem os trâmites normais do trabalho realizado presencialmente.

A Polícia Civil trabalhou por mais de dois meses até que conseguiu prender o suspeito, isso porque ele e a companheira Joelma Maria dos Santos Bruno saíram da cidade e foram para Campinas. Ronaldo voltou para a cidade e estava morando nas ruas quando foi preso. Como Joelma também é co-autora do crime, foi conseguido contra ela um mandado de prisão temporária, porém ela morreu em um hotel da cidade paulista, com suspeita de overdose.

O caso

Limão foi encontrado morto em um terreno baldio na Zona Oeste da cidade no dia 7 de julho. O caso parecia não ter solução, já que não havia câmeras, registros telefônicos e nem provas contra os autores, mas a Polícia Civil conseguiu chegar até os suspeitos após dias de investigações.

Ao ser preso, Ronaldo confessou o crime com detalhes que apenas a perícia técnica poderia saber. Ele contou que ele e Joelma encontraram a vítima na área central, por volta das 3h30, e que combinaram o programa sexual indo juntos até o terreno.

Devido à falta de pagamento, Joelma teria desferido o primeiro golpe contra a cabeça de Elissandro. Ronaldo se aproximou da vítima, viu que ele estava caído e se juntou às agressões, golpeando-o com pedras e um pedaço de pau. Depois a dupla procurou nas vestes de Limão dinheiro e aparelho celular, tendo para isso tirado as calças da vítima e furtado uma jaqueta.

Ronaldo alega que a vítima estava viva quando deixaram o local e que soube da morte no dia seguinte, quando fugiu com Joelma.