A Polícia Civil, em Campestre, efetuou na tarde de segunda-feira (1°) a prisão de dois suspeitos, de 25 e 19 anos, acusados de matar e ocultar o corpo de Arnaldo da Silva Santos, de 38.

O crime ocorreu no dia 22 de maio deste ano, mas o corpo da vítima foi localizado apenas no dia 29, dentro de um rio, com punhos e tornozelos atados. Os suspeitos amarraram ainda blocos de concreto na cintura do homem, com o objetivo de afundar e ocultar seu corpo.

As investigações foram iniciadas assim que o corpo foi encontrado e a autoridade policial representou pela decretação da prisão preventiva dos envolvidos, após a realização de apurações que indicaram a participação dos dois indivíduos na execução do crime.

De acordo com o delegado Tales de Souza Moreira, após o cumprimento dos mandados de prisão expedidos pela Justiça os suspeitos foram formalmente interrogados. “Um deles se reservou ao direito constitucional de permanecer calado, contudo, o segundo envolvido confessou a prática do crime, bem como delatou seu comparsa, fornecendo detalhes e indicando o emprego de crueldade durante a execução da ação”.

Segundo a perícia, a morte foi causada por asfixia mediante esganadura e traumatismo craniano. O crime teria sido cometido após surgir a suspeita de que o homem havia abusado sexualmente da enteada, a qual era namorada de um dos suspeitos.

Após formalização da prisão, os dois foram encaminhados ao presídio.