Na tarde de sábado (8) ocorreu um ato pelo fim da violência contra as mulheres, no Centro de Poços de Caldas. Organizado pelos coletivos feministas Mulheres pela Democracia e Marielle Franco, o protesto relembrou casos recentes, como o de Agatha Nalin Soares de Brito, 13 anos, e Daniele Capelari Plachi, 33, entre outros.

Nas ruas, a manifestação exibiu cartazes e faixas, além de distribuir panfletos sobre o assunto. Edna Leite Ramos, da Marcha Mundial da Mulheres e do Coletivo Mulheres pela Democracia, destaca que o clima não colaborou no sábado, mas mesmo assim o ato foi bastante importante. “Sempre acho que os atos e as panfletagens são extremamente relevantes para que a população veja a luta e o que está acontecendo, pra saberem que não está tudo bem e que precisamos nos unir”.

Para a militante, unir essas pessoas precisa ir além das tragédias e dos assassinatos. “Cada vez que uma mulher é assassinada, estuprada, violentada, todas nós somos um pouco também, por isso precisamos de conscientização, união e, principalmente, trabalhar na prevenção, ainda dentro das nossas casas, escolas, bares e rodas de amigos”, pontua.

O acolhimento das vítimas também é um ponto que Edna faz questão de ressaltar. Ela alerta para a necessidade de uma estrutura dentro do estado e órgãos de segurança, além de uma sociedade pronta para acolher a vítima, sem julgamentos. “Precisamos conversar sobre o machismo e o patriarcado em todos os lugares, porque eles afetam toda a sociedade. Precisamos que tenha um lugar para que as mulheres possam fazer essas denúncias sem questionamentos desnecessários, mas que elas também possam entender a violência, quando elas são mortas muitas coisas já aconteceram, geralmente ela constrói uma história e vem sendo violentada de várias formas com gritos, safanões, empurrões, patrimonial e humilhações, existem várias violências antes do assassinato”, relata.

O ato se concentrou na Praça Pedro Sanches, percorreu ruas da área central e retornou ao ponto inicial. Veja abaixo algumas imagens registradas pelas fotografas Pamela Flausino e Nany Abrahão.