Publicidade
Eagle Motos
Publicidade
Eagle Motos
Publicidade
Eagle Motos
Publicidade
Eagle Motos
Publicidade

As mortes de Agatha Nalin Soares de Brito, 13 anos, e Daniele Capelari Plachi, 33, trouxeram à tona, mais uma vez, a necessidade da lutar contra o feminicídio. Por isso, os coletivos feministas Mulheres pela Democracia e Marielle Franco marcaram um ato para o próximo sábado (8), com o objetivo de levar para as ruas a indignação com relação aos casos.

Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade

Agatha foi morta a facadas, na semana passada, e o principal suspeito é Ubirajara Aparecido Machado Silva Moura, de 61 anos. Quanto ao caso de Daniele, a Polícia Civil acusa o noivo dela, Cássio Ribeiro, de 27 anos, pelo assassinato ocorrido em 2016. Inicialmente, a investigação apontava para um acidente. Porém, em janeiro de 2020, a polícia concluiu o inquérito e afirma que houve feminicídio.

Maquiadora foi morta em 2016 (foto: redes sociais)

“Não podemos nos calar diante de crimes tão graves. A sociedade precisa refletir e deixar de banalizar a violência. Faremos este ato contra o feminicídio, a pedofilia, a violência generalizada pela qual passam as mulheres”, diz Edna Leite Ramos, do Coletivo Mulheres pela Democracia.

O ato vai ter concentração às 16h30 na Praça Pedro Sanches e em seguida os manifestantes vão caminhar pelas ruas da área central. Todos estão convidados a participar. A recomendação é que sejam levadas flores, velas e cartolina.

Foi criado um evento no Facebook, que pode ser acessado clicando aqui.

 


Quer receber as notícias do Poços Já direto no WhatsApp?

Clique aqui e entre em um de nossos grupos.