Publicidade
Eagle Motos
Publicidade
Eagle Motos
Publicidade
Eagle Motos
Publicidade
Eagle Motos
Publicidade

Imagens de um circuito interno de câmeras registraram as agressões sofridas por um homem de 43 anos no último dia 28, durante um assalto. O vídeo mostra a vítima sendo surpreendida pelas costas. No segundo momento, é possível ver uma grande marca de sangue no chão. A Polícia Civil foi notificada do caso e conseguiu prender o ladrão, de 33 anos, na quinta-feira (12).

Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade

O crime aconteceu pouco minutos depois da meia-noite, no cruzamento das ruas Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. A vítima é surpreendida pelas costas por um agressor, que carregava um guarda-chuvas. O rapaz recebe vários socos, principalmente na cabeça. É possível ver que o autor tem um objeto nas mãos, parecido com canivete, que usa para perfurar a vítima.

Os golpes continuam e já em outro ponto da calçada uma segunda câmera mostra novas agressões. O ladrão golpeia o rapaz várias vezes, que não consegue se desvencilhar. Em certo momento é possível ver a poça de sangue na calçada.

Após alguns minutos de agressão o autor vai embora e a vítima fica aparentemente atordoada na calçada, até que a Polícia Militar chega e inicia o socorro e o registro dos fatos.

Segundo o delegado Cleyson Rodrigo Brene, no dia das agressões a vítima estava embriagada e conseguiu dar poucas informações, mas quando foi até a delegacia explicou que, além de ser violentamente agredida, ainda teve um aparelho de celular roubado.

“A vítima foi violentamente agredida com golpes na face, nas costas e com algum instrumento cortante que deixou um grande sangramento no local, além de golpes como mata leão e tentativa de estrangulamento”, pontua o delegado.

A polícia conseguiu identificar o autor, um homem em situação de rua que estava dormindo em um abrigo local. Com as provas contra ele foi representado pelo mandado de prisão temporária, que foi expedido e cumprido na quinta-feira.

“Ao ser ouvido ele confessou as agressões, mas negou a subtração do aparelho celular. Segundo o autor, a vítima teria se apropriado de uma droga que eles compraram juntos e a motivação seria essa dívida de drogas”, esclarece Cleyson.

O criminoso já tem passagens anteriores pela polícia e ainda é suspeito de outros crimes recentes em Poços, que também estão sendo apurados. Ele está no presídio e deve ter um pedido de conversão da prisão de temporária para preventiva solicitado na próxima semana.

Além do delegado trabalham no caso os investigadores Milan, Henrique, Juventino e Paulo Silva.


Quer receber as notícias do Poços Já direto no WhatsApp?

Clique aqui e entre em um de nossos grupos.