Quatro pessoas foram vítimas de estelionato em Poços de Caldas. A maioria dos crimes foi registrada na última segunda-feira (5) e os prejuízo ultrapassam R$ 8 mil.

O primeiro caso aconteceu ainda no dia dois, quando um servente de pedreiro foi abordado por um suposto ganhador de loteria. O homem disse que tinha sido contemplado com R$ 350 mil e precisava sacar o valor na lotérica e prometeu a vítima R$ 5 mil se ela o ajudasse.

Um segundo autor se juntou à conversa e acertou um acordo de garantia, levando o servente a colocar R$ 960,00 dentro de um saco plástico, que seria devolvido junto com o resgate.

O trio foi até uma lotérica na rua Assis Figueiredo, quando o suposto ganhador do prêmio entregou o saco plástico para a vítima e pediu para que o segurasse, visto que iria comprar uma água, deslocando junto com o outro autor. Após 20 minutos o servente desconfiou que havia caído em um golpe e ao abrir o saco plástico localizou apenas papel picado.

Já na segunda-feira foram três vítimas. A primeira, um aposentado de 75 anos, que recebeu uma ligação na qual o estelionatário anunciou que havia sequestrado a filha da vítima. Uma mulher se fez passar pela filha, dando credibilidade ao golpe e exigindo R$ 30 mil pelo resgate.

Desesperado, o aposentado disse que só tinha R$ 5 mil e estava disposto a entregar o dinheiro para ter a filha de volta.  A vítima fez o depósito e em seguida ligou para a filha, quando descobriu que era um golpe.

Também por telefone, um golpista persuadiu uma artesã de 58 anos. O caso foi registrado na segunda-feira, mas aconteceu sábado (3). O interlocutor disse que era da operadora de telefonia  e informou um prêmio de R$ 15 mil disponível para a artesã, mas pediu a quantia de R$ 1.200,00 para fazer as transações. Iludida, a vítima depositou o valor, caindo  no golpe.

Foi na saída de um banco que uma aposentada de 76 anos foi atraída para outro golpe. Ao deixar o local e seguir pela rua Assis Figueiredo, ela foi abordada por um suposto funcionário bancário que disse que a vítima tinha mais dinheiro a receber, por conta do aumento salarial.

A aposentada se dispôs a acompanhar o rapaz até um banco da Praça Pedro Sanches, para conferência da documentação. Antes, porém, o autor deu um jeito de ficar com os R$ 1 mil recebidos pela vítima e também com o cartão.

O estelionatário informou que se deslocaria até o cartório para pegar uma autorização para realizar um novo saque. A vítima aguardou por aproximadamente 30 minutos e, como o autor não mais retornou, percebeu que havia caído em um golpe.