A médica responsável pela unidade (ao centro) conta ainda com estagiárias da Unifal
A médica responsável pela unidade (ao centro) conta ainda com estagiárias da Unifal

Cento e cinquenta novos servidores estão sendo incorporados às 28 equipes do Programa Saúde da Família de Poços. Desde o último dia 14, novos médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares passaram a  integrar as equipes, agora como servidores públicos municipais, contratados mediante concurso público. “De certa forma, este é um momento difícil por conta da substituição das equipes. Mas, ao mesmo tempo, muito bom para a população, já que nossa expectativa é de recomeço do Programa Saúde da Família, quando os treinamentos serão retomados e aprofundados, de acordo com a nova filosofia da administração para o PSF, que trará realmente uma diferenciação no atendimento ao público. Aproveitamos para agradecer aos profissionais que estão deixando o programa pelos serviços prestados e para dizer que, em breve, teremos novos concursos e esperamos poder tê-los na equipe novamente”, destaca o prefeito Eloísio do Carmo Lourenço.

Publicidade

De 6 a 10 de maio, equipes do Departamento de Recursos Humanos da Prefeitura e da Secretaria Municipal de Saúde, realizaram a recepção e a integração destes novos servidores  em cada unidades de saúde. Foram abordados os direitos e deveres do servidor público municipal, o Plano de Emprego, Carreiras e Salários e segurança no trabalho, entre outros assuntos. A Coordenação da Saúde da Família, da Secretaria Municipal de Saúde,  abordou as diretrizes da Política Nacional de Atenção Básica e reorganização da Atenção da Saúde da Família em Poços de Caldas, colocada como prioridade do atual governo municipal.

A maioria dos PSF teve suas equipes totalmente modificadas. Apenas os agentes comunitários de saúde  permaneceram, pois já passaram por concurso público.  Numa primeira etapa,foram priorizadas  as contratações dos  profissionais do PSF. Numa segunda etapa, serão chamados os profissionais concursados pelo NASF, que são professores de Educação Física, nutricionista, assistente social, farmacêutico , as equipes de Saúde Bucal e os agentes comunitários de saúde já aprovados em concurso anterior. “À medida que os novos profissionais vão assumindo,  os contratados através de termo de parceria com a  Santa Casa, estão sendo desligados, com todos os direitos trabalhistas garantidos, como aviso prévio e outros”, destaca dra. Fátima Livorato assessora da secretaria de Saúde.

“Estamos mobilizados para dar suporte aos novos profissionais neste momento de transição. No segundo semestre, teremos uma ampla programação de Educação Permanente para estes profissionais que agora integram o quadro de pessoal da secretaria. Estamos cadastrando estes profissionais no Cadastro Nacional de estabelecimentos de saúde do Ministério da Saúde para não haver descontinuidade”, informa dra. Fátima.

Ela destaca ainda as vantagens de ter o quadro de pessoal formado por servidores de carreira. “A atenção básica/primária, é eminentemente pública, do SUS. Concursos estão acontecendo em todo o Brasil, então todo o investimento em capacitação que é fornecido a estes profissionais, permanece e, com plano de carreira, valoriza o profissional e aumenta o vínculo com a comunidade em que atua”.

A médica foi conhecer a nova equipe do PSF Dom Bosco 2, coordenada pela dra. Patrícia Pedrosa de Oliveira e pela enfermeira Camila Ferreira Bacelar. Dra. Patrícia já atendia no local desde o início do ano e agora, aprovada no concurso, efetivou-se no cargo.  “Para qualificar melhor a atenção básica é necessário o concurso porque dessa forma, se consegue  fixar os profissionais. Quanto mais tempo ficar com a comunidade, conhece melhor, atende melhor”, acredita a médica, formada da Unicamp com residência em Medicina de Família.

O PSF Dom Bosco 2 possui cerca de 800 famílias cadastradas ou 4 mil pessoas. A médica responsável pela unidade espera que, com a chegada de novos agentes comunitários este número possa aumentar, com a busca ativa. “Aí sim poderemos fazer um planejamento para a região”, destaca.

Ela acredita na Estratégia de Saúde da Família (ESF) como ideal para o atendimento primário. “Quando começou a ESF,  a ideia era boa e ficou ainda melhor. O  governo federal  implantou como estratégia e agora os municípios estão investindo porque é o caminho da atenção primária. Através do vínculo , o atendimento  se torna melhor. Ficamos como porta de entrada do atendimento, a pessoa não precisa ir na policlínica, vem aqui, e quando necessário , encaminhamos para especialistas. Com o tempo, a população passa a conhecer melhor nosso trabalho e começa a frequentar o posto”,acredita. Ela destaca que o trabalho não é apenas o atendimento, mas a coordenação, o cuidado com o paciente.

Fonte: ACS Prefeitura Municipal de Poços de Caldas


Quer receber as notícias do Poços Já direto no WhatsApp?

Clique aqui e entre em um de nossos grupos.