Publicidade

O presidente da Câmara Municipal, Marcelo Heitor (PSC), é autor do projeto de lei “Mão Amiga Poços-caldense”, que está sendo analisado pelas comissões permanentes do Legislativo. A proposta consiste na disponibilização de moedas que serão utilizadas como vale-refeição, atendendo às pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Iniciativa é do presidente da Câmara, Marcelo Heitor (foto: Juliano Borges/Poços Já)

O projeto estabelece que tais moedas poderão ser vendidas em estabelecimentos parceiros do município e adquiridas pelas pessoas que queiram fazer doação àqueles que estão nas ruas. A moeda terá o valor correspondente ao preço da refeição oferecida no Restaurante Popular Elza Monteiro Ferreira.

Além de diminuir o número de pessoas em situação de rua, a medida tem como objetivos destinar os recursos doados pela sociedade, que irão exclusivamente para a alimentação do cidadão, utilizar o recurso arrecadado com a venda das moedas na compra de insumos alimentícios para o Restaurante Popular e atender às pessoas que permanecem nas ruas pedindo auxílio financeiro. “É uma proposta pensando em uma questão que temos discutido ultimamente, das pessoas em situação de vulnerabilidade social. Infelizmente, a situação econômica e até outros problemas têm levado pessoas a muitas dificuldades. E a questão da alimentação é algo que preocupa  e, particularmente, mexe muito comigo”, diz Marcelo Heitor.

O parlamentar comenta que, quando o cidadão é abordado na rua por uma pessoa pedindo dinheiro, há uma dúvida se o recurso será mesmo utilizado para a compra de comida. “Essa situação sempre gera uma dúvida, será que ele vai mesmo fazer uma refeição ou irá utilizar o dinheiro para outra finalidade, muitas vezes para sustentar algum vício? Pensando nisso, na realidade de um problema social, estudei, pesquisei bastante sobre o tema, buscando alternativas para que algo fosse implantado em Poços. A intenção é que exista uma parceria entre Prefeitura, Promoção Social, Restaurante Popular e iniciativa privada para que seja disponibilizada a moeda Mão Amiga. Inclusive, a sugestão é para que, quando a pessoa for ao Restaurante Popular adquirir sua refeição, tenha lá alguém da Promoção Social para conversar, analisar a situação e dar o encaminhamento necessário”, ressalta.

Para Marcelo Heitor, são grandes diferenciais do projeto a possibilidade de troca da moeda apenas por uma refeição no Restaurante Popular e o fato da proposta inibir a vinda de mais pessoas para o município com o intuito de pedir dinheiro.“Esse recurso não poderá ser utilizado para outro fim. Além disso, a ideia é que a medida possa inibir o aumento de pedintes, bem como a vinda de pessoas de outras cidades a partir de um propaganda de que aqui a população tem a prática de dar dinheiro. A tendência é criar uma cultura que aqui não se dá dinheiro, mas sim um outro tipo de recurso. É uma ação que vem contribuir com as polícias públicas do município, algo inovador, e espero que seja bem recebido pelas comissões permanentes. Precisamos que, caso aprovado, o Projeto de Lei tenha uma ampla divulgação e possa ser implementado de fato, gerando aí bons frutos na área da Promoção Social”, afirma.

Após análise e emissão de parecer pelas comissões, o projeto vai a plenário para votação. O texto está disponível para consulta no Portal da Câmara, em Proposições.

Laboratório Prognose
Publicidade
Laboratório Prognose
Publicidade
Laboratório Prognose
Publicidade
Laboratório Prognose
Publicidade

Quer receber as notícias do Poços Já direto no WhatsApp?

Clique aqui e entre em um de nossos grupos.


Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade