Publicidade

Na última semana a Câmara de Poços realizou debateu o tema “Dependência química com foco no tratamento”. A audiência pública atendeu ao requerimento dos vereadores Regina Cioffi (PP) e Tiago Braz (Rede), que destacaram a necessidade de avançar nas políticas públicas já existentes no município.

O encontro contou com a participação da subsecretária de Políticas Sobre Drogas de Minas Gerais, Soraya Romina dos Santos, da secretária adjunta de Saúde de Poços, Rosilene de Oliveira Faria, da presidente do Conselho Municipal de Políticas Sobre Drogas, Ana Paula Silveira Corrêa, da coordenadora da Rede de Atenção Psicossocial, Cristina Gadelha Navarro Vieira, da coordenadora do CAPS AD, Stela Baldon Rodrigues, e do presidente da Federação Mineira das Comunidades Terapêuticas, Diego Aguiar. Representantes de diversas instituições de apoio e acolhimento aos usuários também estiveram presentes, entre elas Associação Chácara Santa Clara, Grupo de Auto e Mútua Ajuda Amor Exigente, ONG Fantasmas de Rua, Narcóticos Anônimos e Centro POP.

Publicidade

Tanto a representante do Governo do Estado, como também os profissionais que atuam no município apresentaram informações, dados e projetos existentes na área. O trabalho do Conselho Municipal e da Rede de Atenção Psicossocial, bem como das entidades que auxiliam nesse processo, foi amplamente discutido, segundo a Câmara.

Para Regina Cioffi, apesar da boa estrutura existente, uma lacuna a ser preenchida é a de projetos de reinserção do paciente no mercado de trabalho e de atendimento às famílias. “Foi uma audiência que agregou muito valor no sentido de saber que existem hoje, tanto em Minas como em Poços, políticas públicas bem delineadas, com metas a serem atingidas, estrutura robusta e com fluxo. Fiquei surpresa ao ver que as pessoas são acolhidas e que a estrutura que temos melhorou muito desde a última audiência que participei. O que falta, e é mais complexo, é o atendimento às famílias, não observei uma estrutura para isso. Outra lacuna que não é de hoje trata-se da reinserção social. A sociedade precisa participar mais efetivamente disso”, pontuou.

Ainda sobre a reinserção, a vereadora ressaltou que a sociedade precisa se conscientizar de que qualquer pessoa, independente de classe social, pode precisar de um atendimento. “A dependência pode atingir qualquer um e a reinserção não depende só do poder público. A sociedade precisa participar desse processo, pois estamos carentes disso e ainda existe preconceito. O pilar nesse debate precisa ser atendimento ao paciente, à família e a reinserção, esse último envolvendo também a capacitação dos pacientes quando estão internados, inclusive através de parcerias com escolas técnicas”, disse.

O vereador Tiago Braz também considerou a audiência bastante produtiva e ressaltou que a Câmara pôde dialogar com vários segmentos que atuam nessa área. “Foi uma oportunidade de conhecer como está o funcionamento desse trabalho hoje, principalmente em fase de pandemia, ou seja, o que está dando certo e o que pode melhorar. Foi um debate interessante, acredito que a gente precisa avançar muito sim, principalmente com relação à conscientização da sociedade e ao trabalho de prevenção com crianças e adolescentes nas escolas”, comentou.

Segundo o parlamentar, é preciso, ainda, expandir o trabalho das instituições dentro do município. “Somente uma instituição atua dentro da cidade, as outas são de fora, e podemos tentar ampliar as parcerias. Talvez pensar em clínicas femininas. Outra questão é melhorar muito o pós-tratamento, para que os pacientes tenham acompanhamento e integração social. A partir de agora, vamos continuar o dialogo dentro da Câmara e dar andamento nas propostas para conseguir melhorias no setor”, afirmou.

O vídeo da audiência, com todas as apresentações feitas, está disponível para consulta no canal da Câmara de Poços no YouTube.

Publicidade
Vaga de Emprego
Vaga de Emprego
Vaga de Emprego
Vaga de Emprego

Quer receber as notícias do Poços Já direto no WhatsApp?

Clique aqui e entre em um de nossos grupos.