Publicidade

A Câmara de Poços realiza, até 30 de junho, uma campanha de arrecadação de absorventes para mulheres em situação de vulnerabilidade social. Os produtos podem ser entregues na recepção da Casa, de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h.

Doações podem ser deixadas na Câmara

Os absorventes serão doados ao programa Consultório na Rua, da Secretaria Municipal de Saúde, e ao Centro Pop, da Secretaria de Promoção Social, que atendem esse público. A iniciativa da campanha foi apresentada pelo vereador Flávio Togni de Lima e Silva (PSDB) à Comissão de Direitos da Mulher. A partir daí, os vereadores encaminharam um ofício à Mesa Diretora da Casa, que acatou a proposta.

Publicidade

Segundo Flávio, a campanha, além de mobilizar a população para a doação de absorventes, busca também chamar a atenção para a pobreza menstrual, tema emergente que envolve saúde pública, promoção social e dignidade humana. “Esta é uma ação importantíssima e pontual da Câmara de Vereadores de Poços de Caldas, por meio da Comissão de Direitos da Mulher. É uma realidade, no entanto, que exige um olhar permanente, com medidas também desta natureza e, diante disso, e com muita satisfação, sou autor do Projeto de Lei N 58/2021, que dispõe sobre a distribuição gratuita e regular de tampões e absorventes higiênicos a mulheres em situação de vulnerabilidade econômica, social, extrema pobreza ou em situação de rua. A matéria está em análise pelas Assessorias e Comissões Permanentes da Câmara e tenho certeza de que contribuirá com a melhoria da assistência prestada a estas mulheres atendidas pela iniciativa”, ressalta.

Presidente da Comissão de Direitos da Mulher, a vereadora Luzia Martins (PDT) destaca que a higiene inadequada afeta a saúde de várias maneiras e isso não é diferente quando se fala em higiene menstrual. “Recebemos na Comissão dos Direitos da Mulher um ofício sugerindo a campanha de arrecadação de absorventes. Em via de regra, a maioria das pessoas do sexo feminino menstrua e, neste sentido, o acesso destas pessoas aos cuidados básicos que este período exige torna-se uma questão de garantia de direitos humanos, de dignidade e de saúde. Em 2014, a ONU reafirmou isso ao reconhecer a higiene menstrual como uma questão de saúde pública. A própria ONU salienta que cerca de uma em cada dez meninas perde aula quando está menstruada. Isso torna a ‘pobreza menstrual’ uma questão que emerge não somente no âmbito da saúde, mas que afeta, ainda, outras esferas como o acesso à educação e ao trabalho”, diz.

Ainda segundo Luzia, a campanha é de extrema importância, principalmente pelo momento vivido pela população. “Considero extremamente necessário que exista uma campanha para arrecadação de absorventes higiênicos para as mulheres de baixa renda, principalmente no momento de crise que enfrentamos, em que as vulnerabilidades se demonstram de forma mais intensa e acentuada. Isso proporcionará o acesso de muitas pessoas não somente à higiene adequada e cuidado com a própria saúde, mas também proporcionará a elas a dignidade ao enfrentarem todos os estigmas que envolvem a menstruação. Parabenizo em especial o vereador Flavinho, que teve a iniciativa e a brilhante ideia desta campanha”.

O presidente da Câmara, vereador Marcelo Heitor (PSC), afirma que esta iniciativa vem ao encontro de outras ações importantes do Poder Legislativo de promoção à saúde da mulher. “Através de Projetos e Requerimentos, os vereadores têm sempre debatido a proteção à mulher e a promoção da sua saúde. Essa campanha, proposta pelo vereador Flavinho e Comissão de Direitos da Mulher e acatada pela Mesa, vem somar a todas as outras ações nessa área. Sabemos da importância de políticas públicas que venham proporcionar proteção e dignidade às mulheres, nesse caso àquelas que estão em situação de vulnerabilidade social”, finaliza.

Publicidade
Vaga de Emprego
Vaga de Emprego
Vaga de Emprego
Vaga de Emprego

Quer receber as notícias do Poços Já direto no WhatsApp?

Clique aqui e entre em um de nossos grupos.