Em entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira (22), o prefeito de Poços de Caldas, Sérgio Azevedo, anunciou o início do processo de concessão para a iniciativa privada de quatro pontos turísticos locais. Inicialmente será realizada uma consulta pública. A expectativa é que a licitação seja aberta em março e que o contrato seja assinado ainda neste ano.

Prefeito anuncia o projeto feito em parceria com o BDMG (foto: João Araújo/Poços Já)

Os documentos para consulta estarão disponíveis a partir de amanhã (23), no site ou na sede da prefeitura.  Ainda serão realizadas reuniões com interessados aqui em Poços, além de Belo Horizonte (MG) e São Paulo (SP), e audiência pública no dia 21 de fevereiro, também em Poços de Caldas.

Estão incluídos os seguintes pontos turísticos: Complexo do Cristo Redentor, Fonte dos Amores, Recanto Japonês e Complexo Véu das Noivas. O modelo de concessão, elaborado em parceria com o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), prevê que a empresa vencedora da licitação pague uma outorga ao município, além de investir cerca de R$ 37 milhões em obras nestes locais. A principal delas seria a substituição dos equipamentos do teleférico. A concessão terá duração de 30 anos.

Além do pagamento da outorga, o município vai arrecadar impostos decorrentes destas operações. Entre as premissas para que a iniciativa privada assuma está a entrada gratuita para os moradores locais e o início da cobrança de ingressos somente após o término das obras, que teria prazos de seis a 24 meses.

A turismóloga Carolina Caponi, da Secretaria Municipal de Turismo, afirma que a intenção do projeto é melhorar a qualidade dos serviços oferecidos aos turistas. Segundo ela, estes equipamentos hoje proporcionam apenas uma turismo contemplativo. “Essa proposta é justamente para dar um salto nesse turismo, ter um turismo de experiência com a oferta de vários serviços que podem ser agregados nas áreas de turismo de aventura, ecoturismo e turismo gastronômico”, explica.