As recentes mudanças que a Secretaria de Serviços Públicos fez no Velório e no Cemitério Municipal de Poços de Caldas chamaram atenção da Câmara de vereadores. Durante a última sessão ordinária, realizada nesta terça-feira (11), os parlamentares Álvaro Cagnani (PSDB), Gustavo Bonafé (PSDB) e Joaquim Alves (PMDB) apresentaram pedidos de informações sobre os locais.

De acordo com Bonafé, o sentido do requerimento é fiscalizar os serviços que estão sendo prestados. “A Secretaria de Serviços Públicos recentemente fez o recadastramento de túmulos no Cemitério Municipal, mas, fora isso, tem tido algumas outras mudanças. O requerimento é para entender, principalmente, qual o resultado financeiro disso. O cidadão tem que pagar algumas taxas, quero saber se essas taxas foram pagas, se elas deram conta dessas operações, quais são as mudanças, além do recadastramento, que estão sendo feitas, e também qual a expectativa de impacto na gestão, tanto do velório, quanto do cemitério”, declarou.

Quem também quis saber sobre o recadastramento dos túmulos, realizado entre março e junho deste ano, foi Joaquim Alves. Em pedido de informações ao Executivo, o parlamentar questionou sobre o número de jazigos não recadastrados e, se em algum momento, estes túmulos serão cedidos para outras famílias que aguardam na fila a liberação de novos jazigos para aquisição.

Velório

Já o vereador Álvaro Cagnani (PSDB) apresentou, também em forma de requerimento, uma série de melhorias que podem ser feitas no Velório Municipal, para melhor atender à população. “O velório novo é adequado e o estacionamento também. Mas a cidade cresceu muito nos últimos anos e muitos velórios estão sendo realizados lá. Estou pedindo para asfaltarem a parte de baixo, da entrada. Assim, fica mais espaço para que o pessoal possa estacionar. Também notei a falta de privacidade nos banheiros, eles são separados, mas dá para ver entre um e outro. Pedi para instalarem uma parede de granito. E quero ver a possibilidade de ar condicionados e aquecedores”, detalhou.

Segundo Cagnani, ele entrou em contato com o prefeito Sérgio Azevedo (PSDB), que prometeu um estudo mais minucioso do local para verificar a possibilidade de realizar intervenções.