sábado , 23 Março 2019

Veterinária cria ONG para ajudar mulheres vítimas de violência

Aline Ambrogi era amiga de Carol Sanches, jovem assassinada pelo ex-companheiro no mês passado


A poços-caldense Carol Sanches, jovem veterinária de 34 anos, foi espancada até a morte no dia 17 de maio, pelo ex-companheiro Tiago Oliveira, segundo a Polícia Militar. Ela não costumava falar sobre o relacionamento abusivo que sofria, mas resolveu se abrir após um vídeo postado nas redes sociais pela amiga e também veterinária Aline Ambrogi, de 31 anos.

Aline acredita que o vídeo, no qual fala sobre o relacionamento abusivo que viveu com o ex-marido, foi o que motivou Carol a desabafar. Postado no início do mês de maio, foi uma forma de ajudar e incentivar outras mulheres que passam pelo mesmo problema.  Hoje, um mês depois da postagem, o vídeo já teve mais de 21 mil visualizações no Facebook e quase 180 compartilhamentos.

“Eu e a Carol moramos juntas na época da faculdade, e a gente se falava, mas não muito de relacionamento, era mais da parte profissional. A primeira vez que ela falou sobre vir embora foi no ano passado, ela perguntou como era o mercado de trabalho aqui, porque ela estava pensando em voltar. E ela já estava namorando esse cara, mas eu nem imaginava. Ela só falou comigo quando eu postei aquele vídeo falando de relacionamento abusivo. Ela perguntou: ‘Como você conseguiu sair? Porque eu também estou passando por isso’. A partir daí a gente ficou conversando uns 20 dias”, comenta Aline.

Depois do vídeo, Carol resolveu se abrir. Chamou Aline por mensagem e as duas começaram a conversar sobre o assunto. Carol desabafava e falava que queria terminar o relacionamento. Poucos dias antes do crime, chegou a vir para Poços e voltou para São Paulo disposta a dar um fim no namoro.

Aline e Carol moraram juntas na época da faculdade (foto: arquivo pessoal)

“Ela teve que voltar, por conta do trabalho, mas acho que ela não imaginava que ia acontecer tudo isso, ela achava que ia conseguir terminar numa boa. Ela não falava sobre isso talvez por vergonha, ninguém sabia, nem os outros amigos sabiam. Enfim, ela voltou pra São Paulo e o cara jogou ela da escada.  Ela foi trabalhar no outro dia e foi a primeira vez que ela falou com a chefe dela, contou que estava namorando um cara que era agressivo, que ele tinha empurrado ela da escada porque ela queria terminar o relacionamento e ele não aceitava. Isso foi numa terça, aí na quinta a primeira notícia que chegou foi que ela tinha suicidado. Eu fiquei chocada, porque como eu estava conversando com ela, não tinha indício de suicídio”, lembra.

A versão do ex-namorado era de que Carol havia cometido suicídio. Porém, após a necropsia, foi constatado que ela foi espancada. Com isso, foi expedido um mandado de prisão temporária e Tiago acabou preso.

Homenagem aconteceu dia 27 de maio (foto: divulgação)

Homenagem

A morte de Carol acabou aumentando em Aline o desejo de ajudar outras mulheres que  sofrem abusos nos relacionamentos. A hashtag #somostodoscarol tomou conta das redes sociais e, com a repercussão, Aline organizou um movimento e uma homenagem à Carol, que aconteceu no dia 27 de maio, na Praça Pedro Sanches. Ali foi fundada a Ong Núcleo de Apoio à Mulher Carol Sanches, que tem o objetivo de dar apoio às mulheres que vivem em situações de violência doméstica (psicológica e física).

A Ong por enquanto funciona através da página no Facebook, onde as mulheres entram em contato, contam suas histórias e são auxiliadas por meio do trabalho voluntário de psicólogos e advogados, além de serem orientadas a procurar a delegacia amparadas na Lei Maria da Penha.

“A Ong vai servir pra dar o start, sabe? Ajudar mulheres que querem ser ajudadas.  Já tem muitos voluntários, a gente quer fazer reuniões, trabalhar isso, ajudar com cursos também.  A gente lançou a Ong  no dia que fizemos a homenagem pra ela, e foi um jeito de acalmar o coração da família, para essa morte não ter sido em vão, porque é muito sofrido pra eles, e a gente vê na TV mas a gente não imagina que vai acontecer”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *