domingo , 15 setembro 2019

A FORÇA DE UM LEGADO| Irmãs enfrentam dificuldades, mas mantêm de pé negócio herdado do pai

Itapoã Tecidos foi uma das lojas mais prejudicadas pela enchente de 2016


“Eu acredito muito na força da mulher, principalmente na hora da dificuldade. Você tem que enfrentar, deixar o medo de lado e seguir em frente. ” Assim,  com muita persistência e amor pelo ofício, Patrícia Borsato, proprietária da Loja Itapoã, mostra que resiliência não lhe falta. Depois de um momento turbulento, ela e a irmã, a também empresária Adriana Borsato, seguem em frente e mantêm o legado que herdaram do pai.

A loja está há mais de 40 anos em Poços de Caldas. Mas, antes de chegar aqui , o pai das empresárias, José Augusto Borsato, começou um negócio do mesmo segmento, em Amparo (SP). Animada com a promissora cidade no sul de Minas, a família se mudou para cá e iniciou a nova empresa. A loja de tecidos e armarinhos Itapoã foi fundada em 25 de julho de 1974. Com primeira instalação na rua Assis Figueiredo, depois de alguns anos foi para o local onde ficou mais conhecida, na rua Junqueiras.

Patrícia e Adriana comandam loja tradicional em Poços de Caldas (foto: Tatiana Espósito/ Poços Já)

As duas irmãs praticamente foram criadas dentro da loja. Aos 13 anos já trabalhavam como vendedoras e pegaram gosto enquanto aprendiam como tudo funcionava. Elas contam que saíam da escola, almoçavam e já corriam pra Itapoã. Ainda hoje, Patrícia lembra dos ensinamentos do pai. “Ele dizia que queria que a gente tivesse uma profissão, que comércio é uma coisa boa e queria que a gente tivesse o próprio negócio pra não sofrer o que ele sofreu. Então, acho que isso deu muita força pra gente seguir”.

Na Itapoã, as irmãs fazem de tudo um pouco. Atendem os clientes, cuidam do caixa, das compras, estão sempre a par do que acontece.  Desde muito novas no ramo, aprenderam que cuidar da empresa de perto é o segredo para que ele perdure.

Ao longo das décadas, o empreendimento cresceu. Hoje a loja trabalha com tecidos, artigos de decoração e acessórios sob medida. Há cerca de dez anos, as irmãs perceberam uma brecha no mercado e resolveram contratar mão de obra própria para fabricação de cortinas, já que havia uma crescente demanda de pedidos. A inovação prosseguiu e as empresárias também inseriram a venda de persianas e papel de parede, agregando novidades com qualidade ao atendimento personalizado.

Quando questionadas sobre o que é ser empreendedora, Patrícia e Adriana pensam da mesma forma. As duas acreditam que empreender é lutar, melhorar constantemente diante de todos os desafios. “Eu acredito que somos empreendedoras porque a gente busca sempre estar progredindo, busca crescer no mercado e sempre estar de olho nas tendências, nas mudanças, para não ficar de fora e saber  o que o cliente precisa”, salienta Patrícia.

Nova loja fica na rua Assis Figueiredo (foto: Tatiana Espósito/Poços Já)

A enchente

Ao contar essa história, é impossível não citar o momento mais difícil que enfrentaram. Em janeiro de 2016, uma forte chuva deixou vários pontos da cidade alagados. A loja Itapoã foi um dos locais mais atingidos. A força da água, que veio do córrego que passa atrás de onde o comércio estava instalado, destruiu paredes e quebrou portas. Boa parte das mercadorias e outros objetos foram arrastados e destruídos pela lama da enxurrada.

Ao ver o lugar devastado Adriana sentiu o peso, mas junto da irmã e dos amigos não desistiu. “A gente teve que apostar, não cruzar os braços e mostrar serviço. Se algo está ruim e ninguém faz nada, não melhora”, conta.  A lembrança do pai também deu força às irmãs. “A gente pensou  muito nele, ele tinha tanto desejo que a gente seguisse, então era a hora de enfrentar a situação e ir em frente”, acrescenta Patrícia.

Por quase dois anos, a loja Itapoã funcionou em um local provisório e bem menor do que o anterior. O período foi difícil, o movimento caiu. Mas elas deram a volta por cima. Hoje, em nova instalação inaugurada no dia 1º de novembro, a expectativa é de colher os frutos de todo o esforço que tiveram para continuar o trabalho. “A gente acredita que tudo vai melhorar. Aliás, já está melhorando, depois de tudo o que aconteceu, a gente podia ter desistido, ido pra outro ramo.  Mas graças a Deus são águas passadas. Apareceu esse local, se Deus quiser vai ser muito abençoado.”

A loja fica na rua Assis Figueiredo, 1388, perto da Igreja Matriz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *