terça-feira , 31 Março 2020

“Não sabia que eu era tão bonita”, diz menina retratada em projeto fotográfico


keren
Foto de Keren, de 8 anos, participa da exposição “Recortes da Infância”

Contratado para trabalhar no programa “Mais Educação”, na Escola Municipal Alvino Hosken de Oliveira em 2014, o fotógrafo Gustavo Rodrigues resolveu dar às crianças mais que simples atividades para mantê-las ocupadas. Durante o intervalo entre o turno normal de aulas e o  contraturno, em que os alunos continuam na escola para participar do programa complementar, Gustavo começou a fotografar os alunos enquanto se divertiam.

“Comecei a perceber a maneira como eles interagiam nos momentos em que não estavam estudando e percebi os universos peculiares e paralelos de cada um. Foi aí que tive a ideia de começar a registrar”, conta o fotógrafo. Após reunir um material de mais de três mil fotos tiradas durante seu tempo de trabalho no projeto, Gustavo resolveu criar o “Recortes da Infância“, para mostrar os resultados.

Fotos serão expostas no Espaço Cultural da Urca.
Fotos serão expostas no Espaço Cultural da Urca.

A partir da próxima sexta (2), 36 imagens do projeto, escolhidas pelo próprio fotógrafo, estarão expostas na Galeria Malala Prézia, no Espaço Cultural da Urca. A mostra segue até o dia 11 e, de acordo com o artista, tem o objetivo de fazer com que as pessoas parem de rotular as crianças: “Como se trata de uma escola que fica em uma região periférica da cidade, as pessoas chegam com o intuito de trabalhar com crianças carentes e sem muita perspectiva e não foi isso que eu vi. Encontrei crianças com a cabeça cheia de criatividade, sonhos e vidas completamente diferentes”.

A cumplicidade entre professor e alunos foi essencial para garantir que as fotografias tiradas fossem espontâneas e apreciadas tanto pelo fotógrafo quanto pelos modelos. “Uma aluna de oito anos chegou em mim e disse: Nossa, eu não sabia que eu era tão bonita, isso foi incrível. Uma pessoa dizer que conseguiu ver quem realmente é através do seu trabalho, não tem preço”, finaliza o artista.

Após o fim da exposição na Urca, Gustavo pretende inscrever o “Recortes da Infância” em algum projeto de lei e lançar um livro com as fotografias e algumas anotações que fez ao longo do trabalho com as crianças.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *