Patrocínio

Uma grande festa uniu 411 atletas e dezenas de voluntários na realização da 2ª Edição da Corrida da Adefip, que aconteceu no último domingo (01) . A prova teve largada na Puc e contou com um percurso belo, porém difícil, cheio de subidas, que foram superadas pelos atletas nas distâncias de 5 e 10km, além de caminhada de 3km.

O grande campeão dos 10km Masculino foi Marcos Alexandre Elias, o Queniano, que acabou fazendo a inscrição de última hora e faturou o bicampeonato. “É o segundo ano, minha segunda vitória, em um percurso muito gostoso. Apesar dos primeiros  5km serem mais difíceis, depois fica mais tranquilo. Mas, trata-se de um percurso contagiante, percurso rural. Fico muito feliz com o bicampeonato da prova. É uma preparação que eu estou fazendo para correr a Maratona Internacional de Foz do Iguaçu, que acontece no dia 30 de setembro”, conta Queniano.

Patrocínio

A campeã dos 10km Feminino foi Julia Lima. Para ela, as belezas da prova compensaram o esforço nas subidas. “O percurso foi cansativo, muita subida, pesado. Mas nós treinamos para isso. Minha última prova tinha sido a Corrida da Santa Casa, da Adefip eu nunca tinha participado. Foi muito bacana, valeu o esforço”, disse a campeã.

Pódio dos 10km Feminino (foto: Adefip)

Nos 5km Feminino venceu uma atleta de Ribeirão Preto, Júlia de Souza Abdala. Ela veio passear com a família em Poços e aproveitou para participar da Corrida da Adefip. Acabou voltando para casa, no interior paulista, com o troféu de primeiro lugar.
“Foi uma prova difícil, mas eu adorei. Fiz a Volta ao Cristo e adoro as provas aqui em Poços. Nós amamos a cidade, viemos passar o fim de semana aqui e, como também amamos correr, sempre que vamos viajar procuramos uma corrida para fazer. Não esperava a vitória, pois imaginava que ia ter muita subida. Foi uma surpresa boa. Ano que vem quero voltar”, revelou Júlia.

Pódio 5km Feminino (foto: Adefip)

Correndo por quem não pode

Francisco Nogueira Gonçalves, professor de teatro na Adefip, trabalha diversas atividades com os alunos da entidade e na prova encheu todos de orgulho, conquistando o primeiro lugar nos 5 km. Chiquinho, como é conhecido, não correu apenas por ele, a vitória foi a de todos os seus alunos, que viveram nessa 2ª edição da prova um dia para lá de especial.
“O esporte esteve no sangue desde moleque por causa do futebol, aí depois fui encontrar outra paixão na educação, na parte de Filosofia. A prova da Adefip é uma prova com bastante variação de estímulo onde é importante manter a constância, não deixar cair muito e não ir muito forte no começo. Fiz uma ótima prova, consegui vencer e fico muito feliz em poder fazer isso também por aqueles que não têm condições físicas de fazer essa atividade”, disse Chiquinho.

Superação

Não há corrida melhor para falar de superação do que a da Adefip. Ao mesmo tempo que os alunos da instituição se superam a cada dia, muitos atletas se superaram para completar a prova. Esse é o caso de Guaraci José de Almeida Júnior. Ele começou a correr há apenas quatro meses, já perdeu 35 quilos e debutou em corridas de rua justamente na 2ª Edição da Corrida da Adefip.
“Eu comecei a correr há quatro meses com ajuda do meu amigo David. Já senti minha vida melhorar, perdi 35 quilos, me sinto bem melhor, estou com saúde, meus exames estão bons agora. Não esperava que em tão pouco tempo pudesse participar de uma prova. Agora quero treinar para conseguir fazer uma meia maratona”, afirma, o agora atleta, Guaraci José de Almeida.

Gratidão

Quem também estava muito realizada com o sucesso da Corrida foi a presidente da Adefip, Ana Paula Tranche, que não esconde que essa prova era um desejo antigo da entidade. “No ano passado fizemos a primeira corrida com pouco mais de 300 pessoas e esse ano já contamos com 411 participantes. Queremos bater nosso recorde ano que vem, atingir a nossa meta de 500 e melhorar a cada ano. Quero agradecer nossos colaboradores, que sempre preparam com muito carinho e amor, para que as pessoas de fato participem, ajudem, porque o recurso foi totalmente revertido para a instituição”, agradece Ana Paula.

A presidente da Adefip revela ainda que o percurso foi pensado para que tivesse a cara da Adefip, simulando os desafios que todos superam a cada dia dentro da entidade. “No final, todos juntos são vitoriosos, atrelamos solidariedade, saúde, união, desafios, para que juntos a gente chegue cada dia mais longe. Fico muito emocionada e feliz. O sentimento que tenho é de gratidão. Ninguém faz nada sozinho, o sucesso eu agradeço a cada um que fez sua inscrição, que colaborou, que ajudou nos bastidores. Não é fácil organizar uma corrida. Fica aqui a gratidão dos mais de 250 atendidos, que totalizam mais de 6 mil atendimentos mês. Então, cada um que correu aqui fez a diferença na vida de um dos nossos atendidos”, se emociona a presidente da Adefip.

 

Repórter Fitness

A Corrida da Adefip foi minha última prova antes do Desafio das Montanhas Vulcânicas, no qual eu vou encarar os 30km no próximo dia 29. Foi perfeito como preparação, já que o belo percurso rural, na região do bairro Maria Imaculada, é recheado de subidas, já adiantando o que eu vou encarar daqui alguns dias na Serra de São Domingos. 

Os primeiros 5km são os mais difíceis, pois após começar com uma parte de descida e uma reta na avenida Sinésio do Lago, que termina no Chang Society, há um longo trecho de subida, em estrada de terra, no qual exige muito dos atletas. 

Segui um ritmo bom, consegui me manter em um pelotão até a virada. Nos 5 quilômetros finais, bastante descida. Apertei o passo, recebi o incentivo dos amigos que ainda estavam subindo. No quilômetro final só superação. Força na reta e o resto do gás guardado para a chegada na Puc, em uma subida das mais difíceis por se tratar de final de prova. Um sprint final e ainda consegui passar um atleta que veio grande parte do tempo no mesmo pelotão que eu. Finalizei a prova em 50min e 04seg, longe do meu melhor tempo nos 10km, que é 47min e 24seg. Mas, se tratando uma prova tão difícil, com tantas subidas, foi um ótimo resultado. Satisfeito com a 8ª colocação na categoria 30 a 39 anos. 

Quero parabenizar a todos da Adefip. A prova, assim como fiz questão de colocar no título dessa reportagem, foi realmente impecável, percurso maravilhoso, kit lindo, organização perfeita, vários pontos de água, muito acima do que a gente está acostumado em outras corridas. Já estou ansioso para próxima edição no ano que vem. 

O jornalista Rafael Santos teve que fazer muita força para completar a Corrida da Adefip (foto: Wagner Sidnei Silva /Fotop)

Agora é foco total no Desafio das Montanhas Vulcânicas. Na Etapa Rocha, não estava preparado como deveria para os 23km, acabei fazendo uma boa prova, mas terminei com muitas dificuldades, com câimbras nas duas pernas. Agora é ainda mais difícil, 30km, quem não estiver bem preparado não vai dar conta.  A Serra de São Domingos, além de bela, é um dos locais mais desafiadores para corridas de montanha.

Por tudo isso, tenho seguido a risca meus treinos com o professor Fernando Nascimento e no próximo domingo (15) estarei no Treinão Aberto. Estão todos convidados: os atletas que irão participar da prova, os que ainda estão se decidindo se vão participar ou até mesmo quem quiser ir só para conhecer o percurso. Fica o convite, mais detalhes no Facebook do Desafio. Até lá!   

Patrocínio

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA