Patrocínio
Lama deu o tom da corrida cross country dos Jogos Solidários (foto: Rafael Santos/ Poços Já)

A 2ª edição dos Jogos Solidários, evento que conta com 34 modalidades disputadas ao longo de 49 dias, segue a todo o vapor. Dando continuidade ao calendário de três provas de pedestrianismo, após a Corrida Rústica, aconteceu neste domingo (11), no Parque Ecológico da Zona Sul, a Corrida Cross Country, marcada por um percurso cheio de lama, obstáculos, desafios e diversão.

Após muita chuva durante a semana em Poços de Caldas, a expectativa era uma prova bem complicada e, como disse o secretário de Esportes Wellington Guimarães antes da largada, a única certeza é que os atletas ficariam sujos de barro.

Patrocínio

O tempo ajudou e, apesar do solo molhado, o sol deu as caras. Foi minha primeira prova de 5 km, já que estou acostumado a fazer distâncias maiores. Por causa disso tive um erro de cálculo e larguei mais forte do que precisava, o que me  fez sentir no final. Aliás, logo na largada, após um choque, alguns atletas caíram e foram os primeiros a comer lama. Foram duas voltas em uma trilha que contornou o Parque Ecológico.

O primeiro obstáculo era composto por cordas amarradas nas árvores, que obrigou os atletas a passarem agachados. Para mim, com 1m63, muito fácil, mas para o campeão da prova, Marcos Alexandre Elias, o Queniano, com seus 1m90 de altura, foi um obstáculo bem complicado.

Pódio Masculino (foto: X-Runners)

“Uma prova interessante, difícil pelo fato da grama estar um pouco molhada e escorregadia. Mas, apesar disso, foi uma prova tranquila. O obstáculo da corda foi o mais difícil pra mim por causa da minha altura, tive que rastejar, mas tirando isso foi tudo muito legal”, me contou o vencedor.

O segundo obstáculo foi uma rampa coberta com lona, bem difícil de não escorregar. Consegui passar direto nas duas voltas, mas nem todos tiveram a mesma sorte. A campeã do feminino, Mislene Aparecida, achou essa a parte mais difícil do percurso.

“Foi uma prova bem diferente, a primeira que eu faço desse tipo e foi muito divertida. Apesar de estar meio escorregadio, foi muito legal. Tive mais dificuldade no obstáculo da rampa com a lona, foi o mais complicado de passar. O  bom que o tempo ajudou, não choveu e deu para fazer uma ótima prova”, relatou Mislene.

Pódio feminino: (foto: Rafael Santos/ Poços Já)

Com muitas curvas, subidas e descidas, o trajeto agradou a todos. Após um trecho de bastante barro junto ao lago, o último desafio era uma barragem com pneus, que necessitava de muita atenção dos atletas, principalmente para os mais cansados.

Ao fim da minha primeira volta, escutei o Lelo (Marco Aurélio dos Santos, funcionário da Secretaria de Esportes) gritar que estava passando com 11 minutos. Na segunda volta mantive o ritmo, passei com mais destreza nos obstáculos por já conhecer, consegui acelerar um pouco no final e terminar com o tempo de 22min e 17seg.

Organizador da prova em parceria com a Secretaria de Esportes, Valter Pereira, da X Runners, revela que a ideia inicial era fazer os obstáculos mais difíceis, mas para que todo mundo  pudesse participar eles pegaram mais leve.

“Hoje se tornou uma tendência nacional o pessoal sair das estradas e ir para as trilhas cross country. Fizemos essa prova em parceria com a prefeitura e foi um grande sucesso. A princípio os obstáculos iam ser bem difíceis, passando dentro d’água, mas aí o pessoal pediu e demos uma amenizada e fizemos uns obstáculos bem mais tranquilos, para que o  pessoal pudesse se divertir. Todos gostaram e tivemos um feedback muito positivo”, conta Valtinho.

Tempo ajudou e atletas puderam se divertir durante a prova (foto: X-Runners)

O secretário de Esportes, Wellington Guimarães,  o Paulista, lembra que a prova deste domingo foi a segunda de três corridas dos Jogos Solidários, que culminam  na Corrida da Unimed, que acontece no dia 2 de dezembro.

“Tivemos  a Corrida Rústica, que teve largada no Ronaldão, na abertura dos II Jogos Solidários. Já no cross country neste domingo  o ambiente era totalmente diferente, no Parque Ecológico da Zona Sul, com uma terreno molhado, sujo de lama e foi muito legal.  Como também será a Corrida da Unimed, no dia 2 de dezembro, que a gente convida todos para participar, pois é uma oportunidade para se divertir e ser solidário, já que 50% do valor arrecadado com  as inscrições vão para as entidades beneficiadas pelos Jogos Solidários e os outros 50% irão para a Secretaria de Esportes através de equipamentos que serão doados”, explica Paulista.

 

Patrocínio

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA