Angelo Zampar fez o percurso de 42 km e elogiou muito a prova (foto: divulgação)

No último sábado (14), a cidade de Ubatuba (SP) recebeu 2.500 atletas para o Desafio 28 Praias, maior maratona de trilha do litoral brasileiro. A prova contou com participantes de todo o Brasil, inclusive Poços de Caldas, que foi representada por mais de 50 competidores nas duas provas, de 42 km e 21 km.  

O Desafio acontece duas vezes ao ano. No último sábado a prova aconteceu na costa sul da cidade e a próxima será no dia 22 setembro, na costa norte. O percurso tem características selvagens, com muitos obstáculos naturais, subidas e ladeiras, em terrenos com areia, estrada de terra, caminho de pedras, trilha na mata e floresta.

Entre os atletas de Poços estavam Giovani Alves Bócoli, Weruska Fernanda Mello Bócoli, Rodrigo Alves Bocoli, Valeska dos Reis Figueiredo, Carolina Cagnani Brasileiro, Gleis Ferreira, Alcione De Andrade Silva, Lilia Araújo, Karla Felisberto Dos Reis, Angelo Zampar, Martha Pereira Carvalho, Salete Teresa Neves, Valeria Cassiano e Eliaber Miranda.

Angelo Zampar fez o percurso de 42 km e elogiou muito a prova. “Correr os 42 km do Desafio 28 Praias foi a realização de um sonho. É uma prova muito dura, com muitas dificuldades, trechos de trilha, areia fofa, travessia de rio e até alguns trechos de rapel. É um exercício de superação, é algo que você se propõe a fazer e só pensa em concluir. É uma prova de visual incrível, com uma natureza exuberante, o que te deixa muito feliz de correr naquele espaço, mas, ao mesmo tempo, te exige estar em constante estado de alerta, sempre pronto para o próximo obstáculo que pode surgir”, destaca Zampar.

Já Weruska Fernanda Mello completou os 21 km e para ela o Desafio 28 Praias é a prova mais bonita que participou. “Acredito que esse desafio é uma experiência única na vida do atleta. Até porque cada um vai vivenciar a prova de uma forma diferente. É uma aventura deslumbrante, que oferece mudanças repentinas de cenário. Em um momento você está na praia, correndo na areia fofa, com os pés no mar. Depois você se vê em uma trilha fechada e, de repente, você se depara com mirantes maravilhosos, com paisagens de tirar o fôlego. Em outros momentos você se vê em estradas de terra, de asfalto, ou fazendo a travessia de um rio. Não há palavras para descrever tanta emoção. É a superação dos próprios limites, tanto limites físicos quanto emocionais”, explica Weruska.

      

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA