Maxuell Samurai é a nova esperança de gols no ataque da Caldense (foto: Renan Muniz)

Com o time apenas na 10ª posição no Campeonato Mineiro, a diretoria de futebol da Caldense agiu intensamente ao longo dos últimos dias em busca de reforços. Três jogadores foram contratados para ajudar a equipe a não cair para o Módulo II. São eles Maxuell Samurai e Michel Benhami, que já treinaram hoje no Ninho dos Periquitos e Kaynan, que deve se apresentar amanhã.

O atacante Maxuell Samurai atuou por equipes como Ceará, River-PI, Botafogo-PB, Ferroviário e CSA. É ambidestro, tem 26 anos e 1,82 m de altura. Kaynan é meia-atacante e chega por empréstimo do Bahia. O jogador tem 20 anos, 1,68 m e é destro.

“Venho aqui para ajudar a Caldense a subir na tabela, fazer bastante gols e claro almejar títulos, pois todo clube tem que pensar em ser vencedor. E eu vim aqui para isso, para ser vencedor. Espero junto aos meus companheiros conquistar os objetivos planejados pelo clube”, disse Maxuell Samurai na sua apresentação no Ninho dos Periquitos.

Já Michel Benhami é conhecido pela torcida alviverde. O atleta vestiu a camisa da Veterana em 2014 e 2016. Tem passagens por Tupi, Mogi-Mirim, ABC, América-RN e Volta Redonda. Aos 29 anos, é canhoto, tem 1,84 m, joga como meia, volante e lateral-esquerdo.

Michel Benhami voltou para ajudar a Veterana (foto: Renan Muniz)

“Estou feliz por retornar a um lugar que me sinto bem a vontade. O ambiente aqui é muito bom e espero poder ajudar nessa reta final de campeonato, com boas partidas e estando a disposição do treinador para ajudar a Caldense”, afirma Michel Benhami.

 Todos os três atletas estavam em atividade por suas equipes e agora aguardam seus nomes serem publicados no BID para estrearem pela Caldense. A apenas uma posição da zona de rebaixamento, a Caldense entra em campo no próximo sábado (10), às 16h30, em Belo Horizonte.

1 COMENTÁRIO

  1. Infelizmente são medidas tardias.
    Isso deveria ter sido feito há mais tempo, ou seja, contratação de técnico à altura do clube e de mais reforços e não tentar “soluções caseiras”.
    Nós torcedores estávamos acostumados com a equipe de 2015 e nos deparamos com uma equipe sem esquema de jogo definido.
    Agora temos que torcer para que a Caldense não caia para o módulo 2 do Campeonato Mineiro.
    Futebol profissional tem que ter dirigentes que gostem dele !!!

DEIXE UMA RESPOSTA