Patrocínio
Professor Fernando e o Repórter Fitness Rafael Santos no ponto mais alto da subida da Serra de São Domingos (foto: Wagner Sidney Silva/Fotop)

Faltam poucos dias para a prova de 16km mais difícil do Brasil. No dia 28 de janeiro, os mais de 2 mil atletas que estarão em Poços de Caldas para a 36ª Volta ao Cristo terão que superar os cerca de 2km de Subida da serra de São Domingos, em trechos que chegam a 31% de inclinação. É a parte mais difícil da prova.

Para que não haja nenhum percalço no dia da corrida, nesta minha preparação para a Volta ao Cristo, o professor Fernando Nascimento já havia feito dois treinamentos no local, mas, dessa vez, tive que encarar por duas vezes os 2km de subida, com um sprint final no alto da montanha, em uma das partes mais íngremes.

Patrocínio

A estrada da Serra de São Domingos inicia na bica de água, que fica no encontro da rua Assis Figueiredo, principal rua de Poços de Caldas, com a avenida Dr. David Benedito Otoni. Na Volta ao Cristo, os atletas chegam ao local com aproximadamente 6km de prova, após passarem pela avenida João Pinheiro e a rua Assis Figueiredo.

Fiz o aquecimento junto com os mais de 30 atletas da equipe Nafar e  comecei a primeira subida, onde o professor Fernando me deixou livre para fazer meu ritmo, subi com uma turma  em um ritmo confortável. Lembrando que, no dia da prova, a subida não deve ser feita correndo, apenas em algumas partes mais planas é indicado dar um trote.

Da esquerda para a direita: Carol Cagnani, Rafael Santos, Valeska dos Reis Figueiredo, Marta e Lucas durante a subida da estrada da Serra de São Domingos (foto: Wagner Sidney Silva/Fotop)

Após chegar no alto da Serra, passando pela estátua do Cristo Redentor, seguimos parte da estrada de terra que leva até a rampa de vôo livre, mas, ao invés de descer sentido ao bairro Vila Rica, como acontece na prova, voltamos para a estrada de asfalto e descemos rumo ao início da subida, de onde começamos o trajeto novamente. Nessa segunda parte, o professor Fernando me acompanhou, forçando meu ritmo, testando meus limites.

Chegando no cume da montanha, em uma das partes mais íngremes da estrada, o professor Fernando me fez realizar uma corrida forte, levando ao limite da minha resistência. Algo que eu não vou fazer na prova, mas serviu para testar minha resistência física.

Trote no alto da Serra testou os limites do Repórter Fitness (foto: Fernando Nascimento)

Após finalizar por duas vezes a subida. Conversei com o professor Fernando sobre esse treino, o mais forte até aqui na minha preparação para  36ª Volta ao Cristo.

Esse treinamento foi registrado pela câmera do fotógrafo esportivo Wagner Sidney Silva, da Fotop. Wagner é profissional de educação física e fez do hobby pela fotografia um trabalho sério e premiado. Ele estará na 36ª Volta ao Cristo clicando os melhores momentos. Enquanto o tão esperado dia da corrida não chega, seguem forte os treinamentos. A gente se vê na próxima reportagem, até lá!

Patrocínio

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA