Patrocínio
Passeio passou por belas paisagens (foto: Rafael Santos/Poços Já)

No último final de semana (16 e 17) aconteceu o 1º Desafio Poços de Caldas 4×4 & Bike, que reuniu ciclistas e jipeiros em prol do Lar de Irmã Catarina e Lions Clube Poços de Caldas Urânio. O sábado (16) foi dia da Trilha Extreme 4×4, com jipes que desbravaram caminhos da região. Já no domingo (17) foram realizados o Passeio Radical 4×4 e o Passeio Radical Bike. Ambos tiveram largada pela manhã, no Centro de Convivência Lions Urânio.

Fui convidado pelos amigos da Pedal Sports, Vanderson Arantes e Sérgio Andrade de Souza, a participar do Passeio Radical Bike, no qual mais de 70 ciclistas desbravaram 31 km de trilhas, com largada e chegada no Centro de Convivência Lions Urânio. Aceitei na hora, já que era mais uma oportunidade perfeita para o Repórter Fitness.

Patrocínio

Há muito tempo sem pedalar, cheguei para o desafio sem saber o que esperar. Antes da largada foi servido um delicioso café da manhã, com muitas frutas e sucos. Alimentação que ia se revelar fundamental para que eu completasse o desafio.

Jipeiros e ciclistas se concentraram na sede do Lions Clube (foto: Rafael Santos/Poços Já).

Largamos pouco depois das 9h, antes da largada dos 4×4 que, claro, teria um percurso diferente do nosso. Seguimos em direção a um loteamento novo, que fica nas proximidades da Avenida Europa, e partimos rumo à Alcoa. Logo no início fiquei com a turma de trás, os chamados “vassourinhas”, já que além de não ter tanta experiência em trilhas, também fiquei incumbido de tirar fotos. Mesmo que não tivesse essa incumbência, não tinha como não parar para registrar as belas paisagens que surgiam diante de nossos olhos, em locais ainda pouco explorados na região de Poços de Caldas.

O caminho se mostrou tranquilo, com alguns lugares mais complicados. Em alguns morros acabei descendo da bicicleta (assim como outros participantes) para não sofrer com o risco de queda. Claro que com um pouquinho mais de experiência na bike isso não seria necessário.

Largada aconteceu por volta das 9h (foto: Rafael Santos/Poços Já)

Chegamos ao primeiro posto de apoio, onde havia água e frutas para reidratação, que foram oferecidas pela Jeep Fattore, empresa organizadora do evento ao lado da Pedal Sports e Lajes Mundial. Fiquei impressionado com a organização, mérito para o pessoal da Pedal, expert em fazer esse tipo de evento. Vale destacar que em toda bifurcação havia uma seta para que o ciclista fosse para o caminho certo e não se perdesse.

Após breve parada para reidratação, seguimos por algumas pastagens e trilhas até chegar à Rodovia do Contorno, a qual atravessamos e seguimos para a represa do Cipó, vista maravilhosa que até então eu não conhecia. Só por ter chegado até ali já valia o passeio.

Passada a represa, começou o momento mais complicado da prova. Eram mais de 11h da manhã, o sol estava bem forte e o pior: começaram muitas subidas. Nesse momento, compensei a falta de preparo físico com a vontade. Desci da bike em uma subida mais difícil e, enfim, cheguei a um local mais tranquilo, à beira da rodovia, com algumas plantações e pequenos lagos, passando por um single track bem gostoso.

Paisagem da Represa do Cipó, uma das mais bonitas do desafio (foto: Rafael Santos/Poços Já)

Seguimos até a CBA, onde pegamos a linha do trem e pedalamos por um local muito procurado pelos ciclistas de Poços, cercado de belezas naturais e, ao fundo, bem longe, a Serra de São Domingos, que mostrava que faltava bastante ainda para o fim do desafio. Após passar por uma bela ponte, local ótimo para fazer fotos, cheguei ao segundo ponto de apoio. Importantíssimo, sem ele não teria chegado ao final. Lá me alimentei com maçã, banana e melancia e reabasteci meu estoque de água. Como em outros momentos do circuito, aproveitei bater papo com participantes do evento. Ficou claro para mim que, muito mais que um esporte, o ciclismo é ótimo para fazer novos amigos.

Passando esse posto de hidratação, seguimos até um local em que, por sorte, encontrei o pessoal do 4×4. Parei para fotografar e fui saudado por todos os participantes, um belo momento de integração entre ciclistas e jipeiros.

Desafio passou por paisagens pouco exploradas de Poços (foto: Rafael Santos/Poços Já)

Após esse momento, faltando pouco para completar os 31 km, chegou aquela hora que, como se diz, “o filho chora e a mãe não vê”. Totalmente estafado, com o sol a pino e após quase quatro horas de pedalada, precisei de muita concentração para passar por uma forte subida, encarei meus próprios fantasmas e só fiquei tranquilo quando, de longe, pude avistar o Lions Clube, local de chegada do evento.

Terminei o desafio após mais de quatro horas de pedalada. O pessoal que está acostumado com trilhas chegou bem antes, realizando o percurso com o tempo abaixo de três horas. Mas, neste momento, não importava o tempo que levei, para mim o importante foi ter terminado.

Momento do encontro entre bikes e 4×4 (foto: Rafael Santos/Poços Já)

Pós-prova  

Na sede do Lions, nos esperava um delicioso almoço de confraternização. Além dos participantes do evento, muitas pessoas foram para ajudar a causa. Entre os ciclistas, clima de alegria pelo dever cumprido. O último a chegar foi o Vanderson, da Pedal Sports, que tinha a função de não deixar ninguém para trás. Ele foi recebido por várias pessoas que aprovaram o evento.

“Fico muito feliz que todos tenham gostado, nós da Pedal Sports fazemos tudo com muito carinho. A prova foi um sucesso, em um percurso lindo. Esse é sempre nosso objetivo nos eventos e, graças a Deus, completamos mais um com excelência”, me disse Vanderson.

Após a prova foi servido um delicioso almoço na sede do Lions Clube (foto: Rafael Santos/Poços Já)

Após almoçar um prato com muita salada, maionese, arroz, tutu de feijão e churrasco (e uma cervejinha, porque não sou de ferro), fui até a mesa do pessoal do Laranjas Bikers, grupo de cerca de 50 ciclistas que existe há quase 30 anos e foi responsável por criar esse percurso, considerado um sucesso pelos participantes.              

“O Laranjas Bikers surgiu há quase 30 anos, com o pessoal que andava de bicicross, foi crescendo, a bicicleta do cross foi ficando pequena e fomos mudando para bicicletas um pouco maiores. É uma turma que sempre gostou disso e está aí até hoje. Pedalamos quatro vezes por semana, duas vezes à noite e duas no final de semana. Hoje o grupo conta com umas 50 pessoas, mas que pedalam mesmo são umas 30”, me contou Flavio Merli, carinhosamente chamado de chefe pelos outros membros dos Laranjas.

“O percurso do Desafio escolhemos porque o Vanderson pediu para nós um pedal que saísse e voltasse do Lions Clube, que não pegasse rodovia e não pegasse estrada. A gente achou legal esse pedaço, que já conhecíamos. O intuito do percurso foi que ele não fosse tão difícil e que passasse pela represa do Cipó, que muita gente não conhece. Claro que não foi fácil, mas não pegamos nada muito fechado. Acabou que o pessoal gostou, não tem jeito de não gostar, pois passa por muita água, árvore, mata fechada, foi um pedalzinho que agradou a todos”, salientou Flávio.

A turma do Laranjas Bikers, responsável pelo percurso do desafio (foto: Rafael Santos/Poços Já)

Quem estava muito feliz era Gentil Pereira do Lago e sua turma. Ele anda de bike há oito anos e adorou o passeio. “Foi um percurso maravilhoso, bem marcado. Algumas subidas, single track, estava muito bom. Fizemos em cerca de três horas, andando por volta de 15 km/h. A organização foi ótima e no final ainda fomos agraciados com um almoço maravilhoso”, me revelou o ciclista.

Solidariedade

Muito mais que um grande evento esportivo, o Desafio Poços de Caldas 4×4 & Bike foi um evento beneficente. Por isso, aproveitei o almoço de confraternização para conversar com os beneficiados com o desafio.

Álvaro Bassoto, diretor de sócios do Lions Clube e presidente do Lar de Irmã Catarina, era quem estava cuidando do churrasco e, sem largar o posto de churrasqueiro, me falou da importância desse tipo de iniciativa para as entidades.

Álvaro Bassoto, diretor de sócios do Lions Clube e presidente do Lar de Irmã Catarina; Hilda Pereira da Silva Rezende, companheira do Lions e Edivaldo Alan Rezende Araújo, presidente do Lions Clube (foto: Rafael Santos/Poços Já).

“Hoje no Lar cuidamos de 60 crianças de quatro meses até três anos de idade, com cinco refeições diárias. É um projeto que é cuidado há muitos anos pela Loja Maçônica Estrela Caldense e é todo gratuito. Por isso, esse tipo de evento é muito importante. Em parceria com o Lions Clube a gente consegue ajudar as nossas causas, que são as fraldas do Lions e as crianças do Lar de Irmã Catarina”, destaca Bassoto.   

“As fraldas do Lions”, às quais se referiu Álvaro Bassoto, são um projeto que produz fraldas geriátricas para entidades de Poços.  Hilda Pereira da Silva Rezende, companheira do Lions, me levou ao local onde as fraldas são produzidas.

“Nosso trabalho aqui é extremamente de serviços. Nós temos vários projetos, entre eles a confecção de fraldas geriátricas, no qual fazemos 40 dúzias por semana. Atendemos, entre outras instituições, a Vinha do Senhor. Realizamos esse evento em união com o Lar Irmã Catarina, sob a coordenação do Álvaro Bassoto, e toda a renda arrecadada vai para esses projetos que nós realizamos. É com essa renda que nós temos condições de comprar o material. Quando tem esses eventos nós contamos com a participação da sociedade para que seja um sucesso”, explicou Hilda.

Prova foi um grande sucesso (foto: Rafael Santos/Poços Já)

Também conversei com Edivaldo Alan Rezende Araújo, presidente do Lions Clube, que  destacou o projeto Guarda Mirim, que é o mais antigo da entidade, existente há 40 anos. “Já passaram pelo projeto da Guarda Mirim mais de 14 mil jovens e hoje nós contamos com mais ou menos 120 jovens. É um projeto que proporciona o primeiro emprego ao menino e a menina dentre 16 a 18 anos. Eles recebem um treinamento da gente aqui na nossa sede e ficam aptos a trabalhar nos empregadores nossos, que nós chamamos de colaboradores, por exemplo a Prefeitura, DMAE, Câmara Municipal, Danone, entre outros”, comentou Edivaldo.

Prova foi um grande sucesso (foto: Rafael Santos/Poços Já)

Posso dizer que essa foi a reportagem mais difícil da série Repórter Fitness e também a mais gratificante. Superei os 31 km com muita força e determinação. Mesma força e determinação que faz com que essa turma do Lions e do Lar de Irmã Catarina ajude tantas pessoas. Agradeço muito a oportunidade dada pelo pessoal da Pedal Sports. Nos vemos no próximo desafio!   

Homenagem

Daniel Garcia participou de sua última trilha no Desafio Poços de Caldas 4×4 & Bike (foto: divulgação)

Daniel Garcia, de Barrinha/SP descobriu semana passada que estava com câncer no estômago e precisava de cirurgia urgente. Porém, pediu ao medico para adiar a cirurgia para a última segunda feira (18), para que pudesse fazer sua última trilha no Desafio Poços de Caldas 4×4 & Bike. Infelizmente, foi a última mesmo. Ele faleceu nesta quinta-feita (21),  não resistindo o pós-cirurgia. Fica aqui a homenagem a Daniel e a certeza que ele será lembrado como o grande jipeiro e amigo que sempre foi.

O Desafio Poços de Caldas 4×4 & Bike foi uma realização da Jeep Fattore, Lages Mundial de Andradas, Pedal Sports, com o apoio da TV Poços, Chilli Beans, Ultron ELevadores, Hotel Modelo, Gama 4 x 4, Bike Point Poços e Ciclopoços.

Patrocínio

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA