Patrocínio

 

Treino de MMA é o mais completo das artes marciais (foto: Juliano Borges/Poços Já).

Desde que começou a série Repórter Fitness, já encarei alguns desafios, como o treinamento funcional, boxe chinês e os 6 km da Corrida do Homem. Dessa vez, a pauta veio de um velho amigo, o mestre Luiz Cláudio Patriani, que me intimou a fazer uma aula de MMA na Academia Arena.

Patrocínio

Patriani é faixa-preta de jiu-jitsu, professor de boxe, submission, além de ser o único licenciado no Sul de Minas para dar aula de luta olímpica. Inclusive, há alguns anos, ele trouxe a seleção brasileira do esporte para Poços. Por tudo isso, ele tem todo o gabarito para dar uma aula de MMA: Mixed Martial Arts, em inglês, ou “Artes Marciais Mistas”, em bom português.

Antes de começar a aula, Patriani me explicou que  o treino do MMA é voltado especificamente para quem já luta, o grande foco  é esse. Mas, como hoje essa modalidade se popularizou, nasceu um treino de MMA possível de ser feito por todos, e foi dessa aula que eu participei. Porém, na Arena também há o treino voltado completamente para competição. Entre os atletas da academia que representam Poços nos torneios estão Juninho Hipólito, Glaucio Gustavo e Jorlan dos Santos, entre outros.

“O treino de MMA é o mais completo de artes marciais, por misturar várias modalidades. Por isso, exige muito do atleta. Mas, em contrapartida, traz um resultado muito rápido, muito satisfatório, além de dar ao aluno o conhecimento de uma modalidade de luta e uma defesa pessoal”, me explicou o professor.

Bola suíça é utilizada no treino (foto: Juliano Borges/Poços Já).

Treino Espartano

Segundo Patriani, o treino de MMA é conhecido como Treino Espartano, por sua intensidade. “O treino condiciona muito rápido e traz bem estar, justamente pela parte de condicionamento físico. Os exercícios trazem velocidade, explosão e raciocínio lógico. Isso são coisas de esporte de contato, onde você está o tempo todo pensando e imprimindo o ritmo no seu adversário”, conta o professor.

Fiz o treino com mais três atletas da academia: Fernanda, Fabiana e Fernando. A primeira parte aconteceu no maior tatame do local, situado na rua Barão do Campo Místico. Lá já estava preparado uma espécie de circuito, onde revezamos em exercícios de um minuto cada.

Ficou claro que quase todos exercícios simulam a luta. Em um deles,  jogamos saco de pancada para cima, com o objetivo de simular a queda do adversário. Também realizamos exercícios para dominação do oponente, como um no qual você simula estrangulação e solta sequências de soco enquanto se movimenta de um lado para o outro do saco de pancada. Fizemos exercícios em cima de uma bola suíça (tipo bola de São Benedito), onde temos que manter o equilíbrio enquanto realizamos sequência de socos. Também nos equilibramos em um skate, chamado wakeboard, que fica sobre um cilindro. Esse exercício tem algumas variações, como se manter equilibrado no antebraço e com os pés. Ainda há alguns exercícios de ginástica natural, que simulam movimentos de animais, além de exercícios isométricos. E, claro, sequências de luta, nas quais treinamos clich de esgrima, movimentos do boxe, como jab e direto,sequência de socos, chutes e joelhadas.

Aula foi realizada na Academia Arena (foto: Juliano Borges/Poços Já).

Após a primeira parte do treino cheguei à máxima exaustão e, quando pensei que já tinha acabado, o professor Patriani me levou para o andar inferior da academia, me vestiu com capacete, luvas e caneleira e simulou comigo uma luta. Desta vez, apenas contra o saco de pancada. Fiz diversas sequência de socos e chutes, que serviram para aliviar o stress e me deixar mais confiante para o dia-a-dia. Ao final, tinha deixado tudo de mim no treino, não restava mais nada, só o sentimento de felicidade por ter terminado com um profundo cansaço.

Foi treino de iniciante. No treino com os atletas de competição teria a parte da trocação, de simulação de chão,  todo um outro contexto. Mas foi um ótimo exercício físico, um excelente treino de defesa pessoal, que traz força e explosão para a realidade do dia-a-dia. É um treino duro, suado, para quem quiser usar a força bruta do corpo, com muita força de vontade. Por isso se chama Treino Espartano, apenas os campeões e os fortes sobrevivem. Quem sabe lá na frente faço um treino com os atletas de competição da Academia Arena, mas isso é tema para outro desafio do Repórter Fitness. Até a próxima!     

Patrocínio

1 COMENTÁRIO

  1. Isso é muito bom, deve ser difundido assim como o judô, o karatê, kung fu e outras artes marciais. Lembrando também que o o Brasil se destaca entre os melhores lutadores no UFC e no MMA.

DEIXE UMA RESPOSTA