Patrocínio
Raulzinho pode jogar na NBA
Raulzinho pode jogar na NBA

Durante o último final de semana, a Associação Atlética Caldense recebeu um dos maiores destaques esportivos da cidade nos últimos anos. Raul Togni Neto, Raulzinho, treinou nas dependências do clube ao lado de seu pai, enquanto aguarda o resultado do Draft da NBA (Liga Norte-americana de Basquete). Ele tem grande chance de ser selecionado para atuar no maior no campeonato de basquete do mundo.

Raulzinho é filho de Raul, ex-atleta da Caldense e treinador que comandou o time do Minas Tênis Clube na última temporada da NBB (Novo Basquete Brasil), principal liga do país. Raul, que chegou a abrir mão de convocações da seleção principal do país por causa do nascimento de Raulzinho, agora poderá ver seu filho jogando ao lado das maiores estrelas do esporte.

Patrocínio

Hoje com 21 anos, Raulzinho iniciou como atleta na Caldense quando tinha apenas 8 anos de idade. Aprendeu os fundamentos com o técnico Júlio César de Freitas e três anos depois se transferiu para a cidade de Bauru, onde seu pai era jogador. Posteriormente, já com 15 anos, se transferiu para o Minas Tênis Clube de Belo Horizonte, clube que defendeu por quatro temporadas, e atualmente atua no basquete espanhol pelo time Lagun Aro de San Sebastian. Raul Neto, como é conhecido na Espanha, vestiu a camisa de várias seleções brasileiras de base e esteve com a  Seleção Brasileira nas Olímpiadas de Londres em 2012. “A Caldense foi onde eu dei meus primeiros passos e aprendi as bases que me fizeram tornar o atleta que sou hoje. Sem o aprendizado que tive no clube eu não teria a oportunidade de defender o país nas Olimpíadas e muito menos de ser cotato para NBA”, disse o atleta.

Terminada a temporada do basquete espanhol neste ano, Raulzinho foi treinar na cidade de Los Angeles, onde pode ser observado de perto por “olheiros” da NBA, e teve seu nome incluído no draf. O draft da NBA é uma seleção de atletas que não atuam na liga e podem ser escolhidos  pelos times de forma alternada. Geralmente os times de pior desempenho na última temporada tem a prioridade de escolher primeiro seus jogadores. O atleta está confiante na sua escolha nesta seleção que acontece na próxima quinta-feira (27). “O máximo da carreira de um jogador de basquete é atuar na NBA. Treinei muito pra isso e estou confiante na minha escolha entre os 60 atletas do draft”, finalizou Raulzinho.

Patrocínio

SEM COMENTÁRIO