Publicidade
Exibição é aberta ao público (fotos: divulgação)

Nesta terça-feira (28) o projeto Olhar Circular fará a primeira sessão aberta de cinema do ano em Andradas (MG). A exibição acontece às 19h, na escola Municipal José Bonifácio, e tem entrada gratuita e aberta a todo público interessado.

A exibição faz parte do Cine Circular, um dos destaques do projeto Olhar Circular, que leva oficinas de fotografia e cultura a alunos da rede pública de ensino. Nesta nova etapa do projeto, participam pelo menos 60 alunos, incluindo cidadãos de outros estados brasileiros e haitianos, com idades entre 16 e 80 anos do programa Escola de Jovens e Adultos (EJA).

O filme escolhido para esta edição é “Tapete Vermelho”, que conta a saga de um homem para levar o filho ao cinema. Na trama, Quinzinho, interpretado por Matheus Nachtergaele, tem uma promessa a cumprir: levar seu filho, Neco (Vinícius Miranda), à cidade para assistir a um filme do Mazzaropi. Eles moram num pequeno sítio no interior de São Paulo. Nessa verdadeira odisseia por cidades do interior paulista, ele também leva sua esposa Zulmira (Gorete Milagres), que parte a contragosto, e o burro Policarpo. Eles encontram peculiaridades regionais e passam por situações mágicas, relacionadas à crendice popular. O longa tem direção de Luiz Alberto Pereira e roteiro de Rosa Nepomuceno.

Cerca de 60 alunos participam do projeto

A escolha do filme ocorreu de acordo com as questões socioculturais apresentadas pelos próprios alunos, sendo que a sua maioria viveu durante longos períodos na zona rural e estes possuem uma relação sentimental com a experiência de ida ao cinema, assim como a personagem de Nachtergaele.

Casarão Choperia

Público do EJA

Conforme explicam as gestoras do projeto, as produtoras culturais Valéria Freitas e Larissa Freitas, o convite para atender os estudantes do EJA partiu de uma demanda da Secretaria Municipal de Educação de Andradas em função dos dados de analfabetismo, que conforme a pesquisa mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) beira os 11%.

“É um número que estava aumentando muito, bem como o número da população em razão dos trabalhadores rurais que vem de outros estados e até mesmo países. A secretaria possui outras atividades que estimulam a permanência, mas o Olhar Circular é o um projeto de cunho extremamente social, que prioriza a escuta das vivências individuais e coletivas e que colabora para que os alunos transponham através das artes visuais suas narrativas”, explica Larissa Freitas.

De acordo com Valéria Freitas, as técnicas de fotografia serão repassadas de forma lúdica. “A maioria dos alunos não sabe ler ou escrever e nunca usou uma câmera fotográfica, mas queremos que eles possam ter a oportunidade de olhar para seu cotidiano a partir de uma nova perspectiva, sendo a fotografia a ação segundaria deste movimento. A maioria deles trabalha nas indústrias, roseiras, plantações de café em Andradas e para nós, do Olhar Circular, também será uma experiência inédita de aprendizado”, destacou.

Olhar Circular

O projeto Olhar Circular ocorre desde 2008 e tem como objetivo estimular adolescentes a dialogar sobre cultura, patrimônio, memórias e vivências e as oficinas são voltadas a fotografia e cultura.

Publicidade