Publicidade

A revista Seleções Carnavalescas já está saindo do forno. A publicação, que completa 66 anos em 2018, traz nesta edição o tradicional guia informativo para folião e também relembra momentos de quem fez e faz a história do Carnaval poços-caldense. São cinco mil exemplares, distribuídos gratuitamente para os foliões, a partir de sexta-feira (9).

Criada em 1952 pelo jornalista Décio Alves de Morais, juntamente com o amigo e também jornalista Alexandre Xandó, a Seleções Carnavalescas é uma das mais antigas do segmento ainda em circulação.  A família do fundador também se dedica a manter viva essa tradição, com os jornalistas Rossmaly Borges e Juliano Borges, filha e neto de Seu Décio.

Macedo, Rei Momo sete vezes em Poços de Caldas, é homenageado na edição 2018 (foto: China Trindad/Seleções Carnavalescas)

“Alexandre Xandó vendia livros, daí conversei com ele para fazermos uma publicação de Carnaval. A Seleções não era só uma revista de Carnaval. Era uma revista informativa da cidade. A gente publicava todos os acontecimentos para o turista saber tudo o que ele tinha para fazer em Poços, como o Carnaval no Palace Casino, na Caldense, no Quisisana”, lembra o diretor e fundador Décio Alves de Morais.

Publicidade

Ao longo dos anos, a publicação seguiu cumprindo seu papel de ser um guia completo sobre a festa local, mas também passou por transformações importantes e hoje faz um resgate histórico dessa grande festa, com reportagens especiais. “A revista tem um caráter cultural de resgate de nossas raízes e história. A Seleções Carnavalescas tem ainda caráter de serviço de utilidade pública, pois informa os foliões, moradores e turistas que vêm à cidade”, destaca a editora-chefe Rossmaly Borges.

Ao folhear a revista o leitor encontrará a história do Rei Momo mais conhecido da cidade. Luiz Henrique Macedo, o Macedão, que reinou nos anos de 1998,1999,2000,2001,2003,2005 e 2006. Orgulhoso de sua trajetória como uma das grandes majestades de Poços, ele conta que até hoje, 20 anos após receber a chave da cidade pela primeira vez, ainda ouve pedidos para voltar. “O sangue continua correndo na veia, talvez algum dia a gente ainda pense em poder retornar, para brincar de um último concurso.

Além da história do Rei Momo, a Seleções deste ano também tem memórias da historiadora Maria José de Souza, mais conhecida como Tita, homenageia o início da publicação, quando era um guia de marchinhas, e conta  com a  programação completa do carnaval 2018 em Poços , onde fala dos bloquinhos, da Charanga e do Banho à Fantasia, entre outros.

“É uma responsabilidade muito grande levar um trabalho de 66 anos adiante, mas ao mesmo tempo é muito gratificante, já que a revista é uma das mais antigas do segmento ainda em circulação”.  destaca Juliano Borges.