Publicidade

O Núcleo de Pesquisa Teatral abre os trabalhos entre os espetáculos vencedores do Prêmio Benigno Gaiga de Incentivo ao Teatro 2017. Com “A sociedade do papel”, o grupo experimenta pela primeira vez a criação de uma montagem autoral, com a proposta de reflexão sobre o mundo contemporâneo.

A apresentação será na terça-feira (18), às 20h30, no Espaço Cultural da Urca, dentro da programação do Julho Fest. A entrada é gratuita, mas os ingressos precisam ser retirados antecipadamente na portaria do teatro.

Publicidade

A montagem trata o papel como metáfora social, mas também enquanto matéria, produto da celulose. A partir daí, são provocadas reflexões sobre questões como consumismo, manipulação e efemeridade. “Basicamente, o espetáculo aborda as relações humanas, os papeis sociais. A gente brinca com isso por meio da arte”, explica o diretor, Nando Gonçalves.

Trilha sonora

Formado por músicos e atores, o núcleo mantém a marca de fazer trilha sonora ao vivo, inclusive com músicas próprias. Instrumentos como piano, sintetizador, contrabaixo acústico, violão e percussão, entre outros, criam a atmosfera necessária para cada cena e ajudam a envolver o público.

Do divertido funk “Higiênicos” à conceitual “Noite”, as músicas inspiraram inclusive a criação de algumas cenas. “A ‘De papel’, por exemplo, é sobre quando saí de casa para morar em um apartamento de paredes muito finas. Um amigo disse que as paredes eram de papel e isso me inspirou a compor. Algumas cenas surgiram das músicas e vice-versa”, conta a atriz e musicista Nanda Dearo.

Pesquisa

Para chegar até esse resultado, o Núcleo passou por um intenso trabalho de pesquisa. A codiretora do espetáculo, Luciana Rossi, e a atriz Sissi Abrão, foram responsáveis por ministrar uma oficina de ferramentas para corpo, improviso e criação, que colaborou na metodologia do grupo.

Desde então, Rossi esteve próxima da montagem e se identificou com o processo de criação coletiva. Dessa forma, todos participam e a obra está em constante transformação. “Acaba se tornando muito verdadeiro para o ator, que traz coisas da vida dele e transforma isso em arte, no palco. É um espetáculo bem inovador para Poços de Caldas”, comenta a codiretora.

Prêmio

O Núcleo também venceu o Prêmio Benigno Gaiga em 2016, com a adaptação da peça “A Tempestade”, de William Shakespeare. Em 2017, as seguintes montagens também foram premiadas: “O Artêro e a salamandra de fogo”, do Grupo Rasgacêro; “Arlequim servidor de dois amos”, da Cia. Máscaras Vivas; e “Marcelino pão e vinho”, da Dell’arte Produções Artísticas”.

Todos se apresentam durante o Julho Fest, nesta ordem, de terça (18) a sexta-feira (21), no Espaço Cultural da Urca. As apresentações começam às 20h30 e a entrada é gratuita, mas os ingressos devem ser retirados antecipadamente na portaria da Urca.