quinta-feira , 17 agosto 2017
Cantina do Araújo

As cores da política

*Karol Dias


Sim, esse é um espaço para discutir moda, beleza e estilo. Mas, gente, não tem como fingir que nada tá acontecendo no nosso país e apenas falar das cores que estarão na moda no inverno. Por isso vou falar das cores da política, que aí engloba o momento atual do nosso país sem fugir totalmente do objeto dessa coluna.

Há algum tempo em que a política do nosso país vem nos decepcionando sistematicamente, é escândalo atrás de escândalo. É um sentimento de impunidade e impotência. Mas, porém, contudo, entretanto, não somos tão impotentes assim, afinal, somos nós que elegemos esse pessoal todo, e mais, quando o povo se junta, mas junta mesmo, conseguimos grandes proesas, como as Diretas Já, onde o desejo de todos (ou da grande maioria) era um só, dar ao povo o poder de escolher seus líderes.

O grande problema atual é a desunião do povo brasileiro, e aí é que chego nas cores. Estamos divididos, são os vermelhos contra os verde-amarelos. Vermelho, cor da ala esquerda. Verde-amarelo, cores que, depois dos movimentos pró-impeachment da Dilma, se transformaram em símbolo da ala direita. E aí, ao invés de juntarmos todas essas cores numa só voz, não, ficamos discutindo quem votou em quem, que a culpa é de quem votou, que a culpa é de quem tirou. Aqui todo mundo tem culpa, nós que votamos neles, mas principalmente deles, que usaram nossa confiança para chegar ao poder e lá nos traíram e nos roubaram.

Portanto minha gente vamos deixar o vermelho, o verde e o amarelo de lado, vamos tirá-los da moda da política e deixá-los mofar no fundo da gaveta, assim como as ombreiras dos anos 80. Vamos todos ser nudes, uma cor neutra, que está sempre na moda e que pode juntar todo mundo num só movimento, num movimento em que clamamos, a uma só voz, por um país livre de corrupção e impunidade.

Como conseguiríamos isso? Acredito que uma reforma política, mas daquelas REFORMAS em Caps Lock, seja a solução, mas isso é assunto para os colunistas de política né!

O que quero deixar claro nesse meu espaço é que na verdade todos nós queremos a mesma coisa, uma política limpa, mas estamos presos a cores que não se misturam. Então vamos todos ser nudes e lutar, juntos, por um Brasil melhor, digno e justo.

*Karol Dias é formada em jornalismo pela PUC-Campinas e fez curso de moda com Maria Prata.

APP Poços Já

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *