quinta-feira , 22 junho 2017
App Poços Já

Mariangela Zan apresenta tributo a Inezita Barroso na Festa Uai


Mariângela fez show na Festa Uai.
Show de Mariângela Zan, na Festa Uai.

A cantora Mariângela Zan, ainda criança, conheceu Inezita Barroso. Desde então, foram muitos anos de convivência e admiração mútua. Por isso, Mariângela viaja o país em um tributo a este que é um dos maiores nomes da música sertaneja.

A homenagem a Inezita Barroso foi uma das atrações da Festa Uai na quinta-feira (20). O Poços Já conversou com a artista.

Poços Já: Como surgiu este show?

Mariângela: Eu sempre tive uma amizade grande com a Inezita, e quando ela faleceu a gente estava fechando o Circuito Cultural Paulista, pelo governo do estado de São Paulo. Eles propuseram fazer um tributo e eu adorei a ideia, porque a gente estava naquela comoção e para mim é uma forma de agradecer por tudo que ela fez na minha carreira. Ela me ajudou muito, me incentivou, me levava ao Viola sempre.

Poços Já: Como foi o seu primeiro contato com ela?

Mariângela: A Inezita me conhece desde criança e eu sempre frequentei o Viola, com o Mário Zan, com quadrilha, festa junina, fui algumas vezes também cantar as músicas do Mário Zan. Quando meu pai morreu, eu precisava mostrar o meu trabalho. Liguei para ela e pedi para me levar ao programa. Não só daquela vez, como várias outras ela me levou ao programa, sempre dizendo que gostava do meu trabalho, para as pessoas prestarem atenção em mim. Ela foi incrível na minha vida.

Mariângela era criança quando conheceu Inezita Barroso.
Mariângela era criança quando conheceu Inezita Barroso.

Poços Já: São feitas releituras das músicas?

Mariângela: São releituras. A maioria com uma pegada bem moderna, não fugindo do tradicional, mas um pouquinho mais animado. A gente pegou alguns clássicos que ela gravou, como Lampião de Gás, Ronda, Moda da Pinga, e também algumas que ela regravou em disco, e parcerias de Mário Zan e Inezita Barroso, como Siriema e Festa na Roça.

Poços Já: Como tem sido a recepção do público?

Mariângela: Muito bom, o pessoal tem curtido bastante. Todo mundo gosta de Inezita Barroso, todo mundo gosta de Mário Zan e todo mundo gosta de música raiz, caipira.

Poços Já: E para você também deve ser emocionante.

Mariângela: Muito, demais. Eu só tenho que agradecer para sempre, por todas as oportunidades que ela me deu e pela amizade dela por mim. Ela não gostava fácil de uma pessoa, e gostava de mim. Muitas pessoas chegavam na Inezita para tentar explorar, por causa do programa. Ela tinha aquele pé atrás. E de mim ela gostava, a gente almoçava junto, conversava. Conversar com a Inezita era muito bom porque ela tinha uma cabeça muito moderna.Enfim, é uma pessoa que deixou muita saudade e fazer esse tributo é uma honra para mim.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *