Publicidade
Eagle Motos
Publicidade
Eagle Motos
Publicidade
Eagle Motos
Publicidade
Eagle Motos
Publicidade

Assaltantes fizeram uma família refém em Andradas nesta quarta-feira (8). As vítimas são esposa e filho de um gerente do banco, mas foram resgatadas antes que o plano se concluísse, na região de Belo Horizonte, sem ferimentos.

Pégasus se deslocou para a cidade a fim de apoiar os trabalhos (foto: Andradas Hoje Regional)
Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade

De acordo com a Polícia Militar, por volta das 8h30, militares em atividade preventiva tiveram informações sobre o sequestro da família de um dos funcionários de uma agência bancária ocorrido na terça-feira (7). A operação começou em seguida, com apoio de militares de Poços de Caldas.

A PM descobriu que na noite anterior três assaltantes estiveram na residência e trancaram a família em um cômodo até por volta das 3 horas. Após este horário, os familiares do gerente foram colocados em veículos e retirados da casa, enquanto o funcionário permaneceu em poder de um dos criminosos até pela manhã, quando ele foi orientado a ir para o trabalho como se nada tivesse acontecendo.

Ao funcionário do banco foi dada a ordem de que ele levantasse todo o dinheiro que pudesse, em notas de R$ 100 e R$ 50, e entregasse o valor a alguns quarteirões do banco. Mas, como a agência dispõe de um sistema para a abertura do cofre e como os militares já tinham a informação, a polícia passou a atuar de modo a tranquilizar a vítima e resgatar a família.

Os sequestradores deram ordem para que a mulher conduzisse o veículo pelas vias públicas sem parar e com a informação de que ela seria seguida por um carro com os criminosos. A PM rastreou o veículo e o encontrou em Congonhas, quando as vítimas foram paradas e colocadas em segurança.

Por enquanto ninguém foi preso. A polícia acredita que pelo menos cinco criminosos estão envolvidos no crime. Nenhum dinheiro foi levado. A família está sendo levada para Andradas e o caso já está sendo investigado pela Polícia Civil.

Publicidade