Publicidade
Eagle Motos
Publicidade
Eagle Motos
Publicidade
Eagle Motos
Publicidade
Eagle Motos
Publicidade

Um bebê de apenas três meses morreu na manhã desta terça-feira (25). Ele chegou à Santa Casa de Poços já sem vida. O pai, de 25 anos, foi preso. A mãe, de 17, e uma adolescente chamada para cuidar da criança, de 15, foram apreendidas. Os três envolvidos apresentam versões divergentes sobre o caso.

Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade
Nafar
Publicidade

O Samu encaminhou o bebê para Santa Casa por volta das 7h30, segundo os funcionários do hospital. A médica que realizou o atendimento disse à polícia que a criança chegou entubada e apresentava parada cardiorrespiratória há pouco mais de meia hora. Mesmo assim, ela ainda tentou reanimar o bebê por mais 16 minutos, sem sucesso. A médica não soube afirmar se a causa da morte teria sido sufocamento, pelo fato da criança ter sido encontrada de bruços na cama, ou se possivelmente teria engasgado com leite.

O pai, a mãe e a vizinha são tratados como suspeitos pela polícia.

O que diz o pai

No hospital, o pai contou à polícia que morava com a companheira e o bebê e que ela saiu para o centro da cidade, por volta das 16h da segunda-feira (24), dizendo que não demoraria a voltar. Ainda segundo ele, a mãe não retornou até às 4h10 da terça-feira, quando ele tentou falar com ela de um orelhão próximo à sua casa, já que não possui celular, e ela teria dito que estaria chegando. Ele então pediu para a vizinha tomar conta da criança até que a mãe voltasse, pois teria que ir trabalhar. O pai afirmou que deixou o bebê alimentado, de banho tomado e que estava bem quando saiu.

Por volta das 6h, já no trabalho, o pai recebeu uma ligação da vizinha dizendo que estava em casa com o bebê, mas que teria que sair e deixar a criança com a mãe. Depois disso, de acordo com o pai, ele só foi informado da morte da criança.

O que diz a mãe

A mãe disse à polícia que, em comum acordo com o pai, saiu para o Carnaval por volta das 16h de segunda e retornou só às 4h de terça, deixando a criança com ele. Chegou de mototáxi e encontrou a criança sozinha, de bruços na cama, debaixo de vários cobertores. Os policiais pediram o telefone do moto-taxista para confirmar que horas de fato a adolescente teria chegado em casa, mas ela afirmou não ter o número porque “ligou da internet”, mas não soube explicar como se faz esse tipo de ligação.

A mãe disse ainda que, por volta das 6h30, ligou no local de trabalho do marido para dizer que estava tudo bem e brigou com ele por ter deixado a criança sozinha em casa. Questionada pela polícia sobre o que teria acontecido entre 4h e 6h30, quando fez a ligação, ela afirmou que amamentou, deu banho e deixou o bebê sentado na cama, indo até a casa da vizinha pedir que tomasse conta do filho, pois teria que retornar à casa da amiga que tinha saído com ela para buscar uma bolsa com seus pertences.

A mãe afirmou não saber o que pode ter acontecido após a sua saída.

O que diz a adolescente

No boletim de ocorrência, a adolescente de 15 anos que tomou conta do menino disse que dorme de vez em quando na casa da prima, que é vizinha dos pais da criança. Ela afirmou ter se oferecido para ficar com o bebê por dó, devido “às saídas inconsequentes da mãe” durante o Carnaval. Ela falou que no domingo tomou conta do bebê entre 16h e 23h, deixando em seguida com o pai, e que não viu a mãe. Na terça-feira, por volta das 6h30, estava dormindo na casa da prima, quando foi acordada pela mãe do bebê, que aparentava ter chegado de uma festa. Ela estava nervosa e agitada, disse que teria que ir até o hospital acompanhar uma amiga que tinha bebido muito, e pediu para que tomasse conta da criança.

A adolescente afirma que se dispôs a ajudar e foi até a casa vizinha, onde encontrou o bebê enrolado em muitas cobertas e de bruços na cama. Ao pegar a criança, notou que não respondia a nenhum estímulo e imediatamente buscou ajuda da prima, que chamou o Samu.

Publicidade