Publicidade

A Polícia Civil de Poços de Caldas prendeu, na manhã desta quinta-feira (5), Richard Otávio Rodrigues da Silva, de 21 anos, batizado como “Calibre” pelo Primeiro Comando da Capital (PCC). Ele é suspeito de ter participado do julgamento e execução da balconista Deisiele Cássia Roque, de 33 anos, em junho.

Richard retornou à Poços nesta quinta-feira e foi preso (foto: Divulgação)

O suspeito chegou em Poços durante a madrugada, após passar dias escondido em Guarulhos (SP). Richard, que é irmão da também suspeita Sara Cristina Rocha, de 28 anos, estava homiziado na cidade de Guarulhos (SP) e informações deram conta que ele retornaria à cidade nesta quinta-feira.

Novas diligências foram feitas e os policiais descobriram que ele estava na casa de sua mãe, na rua Magnesita, Jardim Kennedy I. Uma equipe esteve no local e, após pular um muro com cerca de seis metros de altura, conseguiu localizar o investigado deitado e dormindo. Ele não resistiu à prisão.

Publicidade

O mandado de prisão temporária é de 30 dias e pode ser convertido em prisão preventiva ao fim do prazo. Ele foi encaminhado à delegacia, onde exerceu seu direito de ficar calado em depoimento, embora tenha confirmado sua presença durante a execução da balconista e afirmado que a faca usada na execução foi dispensada em um rio.

As investigações apontam que, além de ser membro da facção criminosa e irmão de uma das suspeitas do homicídio, Richard participou do sumário e da execução, sendo um dos autores dos principais golpes de faca que tiraram a vida de Deisiele.

Atuaram neste caso o delegado Cleyson Rodrigo Brene e os investigadores Bárbara, Douglas, Nicole e Sinval.

O caso

Deisiele saiu de casa e não voltou mais, segundo a família (foto: redes sociais)Deisiele de Cássia Roque foi levada de casa em 17 de junho deste ano por integrantes do PCC. A família deu queixa do desaparecimento, mas enquanto investigava o paradeiro da vítima a Polícia Civil descobriu que na verdade ela tinha sido assassinada.

Deisiele ficou em poder dos bandidos até o dia 21, quando foi executada na zona rural da cidade. Ela foi julgada em um tribunal criminoso chamado de sumário, que avaliou sua conduta.

As acusações eram de que Deisiele, usando um perfil falso no Facebook, envolveu sua então amiga Mislaine Silva de Lima, de 25 anos, com um indivíduo chamado Luciano Leandro que só existia nas redes sociais. Ela passou então a se relacionar com a amiga pelo perfil, fazendo Mislaine acreditar no romance e dar dinheiro para que ele pudesse pagar dívidas dentro do presídio. Mislaine repassou a Deisiele R$ 6 mil, mas acabou descobrindo o golpe em março, após cerca de três meses de relacionamento falso.

Mislaine então conseguiu concretizar seu desejo de entrar para a facção em junho e pediu a cobrança da dívida. Ao longo dos três dias de sumário diversos criminosos opinaram sobre a situação e o grupo sentenciou a balconista à morte.

Após a identificação de Mislaine, a polícia chegou até Elaine Nascimento Coelho, de 28 anos. Ela teria participado do primeiro dia de sumário e deu abrigo à primeira autora quando esta saiu de Poços.

Corpo foi encontrado na zona rural (foto: Mariana Negrini/Poços Já)

Com a prisão das duas foi localizado o corpo de Deisiele, no dia 14 de agosto. Ele estava enterrado em uma propriedade rural e tinha sete perfurações de golpes de faca.

A polícia descobriu ainda quem estava no local da execução e quem desferiu os golpes, prendendo Sara Cristina Rodrigues, de 28 anos, Fenando Wüller de Freitas, 21, e Rafael Chocho, 33, no fim do mês passado, e agora Richard Otávio Rodrigues da Silva, de 21 anos.

Sara, Fernando e Richard seriam membros da facção e Rafael companheiro do PCC e namorado de Sara, cabendo a Fernando e Richard golpearem a vítima com as facadas.

 

Mais reportagens do caso, clique aqui.