Publicidade

O júri popular de Lucas Oliveira da Silva, de 23 anos, acusado de matar a sogra em abril de 2018, foi adiado após a defesa do réu alegar insanidade do acusado. O juiz permitiu a realização de um exame de sanidade e um novo julgamento será marcado.

A sessão do júri, marcada para ter início às 8h30 da última quarta-feira (3) foi iniciada normalmente com a escolha dos sete jurados. Foram ouvidos o réu e as testemunhas. Em determinado ponto da sessão a defesa pediu ao juiz que fosse concedida a permissão para uma análise médica da situação mental do acusado, alegando que ele possui problemas.

O juiz optou então por encerrar a sessão, dissolver o conselho de sentença, dispensar os jurados e aguardar os dados médicos para a realização de um novo júri.

Publicidade

O caso

Em 2 de abril de 2018 Lucas teria provocado incêndio em dois imóveis da cidade, um na Zona Sul e outro na Zona Leste, na casa de Maria José Meireles, de 67 anos, encontrada morta no interior da residência.

As investigações apontam que Lucas teria usado um objeto pontiagudo para ferir e matar a idosa, tendo em seguida ateado fogo no imóvel.

Após o crime, o suspeito fugiu e tentou se matar na Represa Saturnino de Brito, mas foi impedido e preso.