Publicidade

Após a ameaça de massacre no Colégio Municipal Doutor José Vargas de Souza, muitos pais e responsáveis querem saber como ficará a segurança do local nos próximos dias. O inspetor Marcelo Bastos, da Guarda Municipal, garante que vai intensificar a patrulha no local. Já a Polícia Militar vai manter seus trabalhos de rotina, uma vez que nenhum fato concreto foi identificado.

A insegurança foi instalada após conversas e áudios compartilhados pelas redes sociais afirmando que um aluno tinha a intenção de cometer um massacre nesta segunda-feira (27). A história circulou rapidamente e acabou fazendo com que cerca de 80% dos alunos optassem por não frequentar as aulas no período da manhã.

Quando a escola abriu as portas, viaturas da Polícia Militar e da Guarda Municipal já estavam presentes. Foi realizada uma reunião entre autoridades e ficou esclarecido que o caso se tratou apenas de boatos, embora um aluno e sua família tenham sido acionados após ele ser identificado como o suposto responsável pelo conteúdo ameaçador por conta de um comentário feito na semana passada em sala de aula.

Publicidade

Segundo a PM, a partir desta reunião ficou definido que nenhuma ação será empenhada nos próximos dias de forma pontual, mas o policiamento continuará como nas demais escolas, através da Patrulha Escolar. Já a GM vai intesificar as rondas, ao longo de toda a semana, em especial nos momentos de entrada e saída da turma da manhã.