Publicidade

Um homem foi condenado a 12 anos e 6 meses de prisão, em regime fechado, por ter estuprado a sobrinha, à época com 9 anos. Segundo a denúncia, o réu teria passado a mão nas partes íntimas da garota dentro da casa da avó dela.

O fato aconteceu em maio de 2014 e foi o pai da jovem quem denunciou o caso à polícia, após ter sido informado por uma testemunha. Em depoimento o pai contou que estava trabalhando quando recebeu uma ligação da esposa que alegava ter acontecido algo muito sério. Imediatamente ele teria ido à casa dela e sido informado por sua enteada do acontecido.

O pai conta que conversou por duas vezes com a filha e ouviu dela os detalhes, acreditando nos fatos, já que realmente a levava para a casa de sua ex-sogra, local onde morava o acusado, e a menina relutava, chorava, falando que não queria ficar no local, inclusive pedindo para que esperasse na porta.

Publicidade

A avó da menina contou que neste dia a neta saiu da sala, onde o tio estava, descabelada e com os olhos estalados, mas não disse nada. O acusado segue negando o crime e disse à justiça estar indignado com a acusação. A vítima não compareceu ao fórum para prestar esclarecimentos, mas o juiz pontuou que em “crime contra a liberdade sexual, rotineiramente praticado às ocultas, a palavra da vítima tem relevância especial, mesmo que apenas na delegacia de polícia, pois além de apontar o autor do delito, é rica em detalhes, mostrando-se firme e coerente com a dinâmica dos fatos e com os demais elementos de prova”.

O suspeito pode recorrer em liberdade.

Publicidade