Publicidade Publicidade

Está sendo realizada nesta quarta-feira (24) sessão do tribunal do júri no Fórum de Poços de Caldas contra Amon Gezer da Cruz, acusado de matar Elias Donizeti da Silva, de 48 anos, conhecido como Liu, em fevereiro do ano passado. Na época a polícia apurou que a motivação do crime teria sido uma disputa por ponto de tráfico de drogas no bairro Dom Bosco.

Crime foi cometido dentro de um bar (foto: arquivo)

Outros dois homens, José Ronaldo dos Reis, 29 anos, conhecido como Nêgo, e Jean Paulo Pires, 30 anos, também são acusados de participar do crime, mas o processo de Amon foi desmembrado e ele senta no banco dos réus sozinho.

Liu foi morto em 18 de fevereiro do ano passado em um bar da rua Maracanã, no bairro Dom Bosco. De acordo com a denúncia, os disparos foram efetuados por Amon, que teria entrado no estabelecimento, colocado uma arma na cabeça da vítima e disparado. Com Liu já no chão, o autor teria continuado a atirar e em seguida fugido ao lado do comparsa, José Ronaldo, na moto de Jean.

Publicidade

As investigações da Polícia Civil levaram os policiais até o trio. Na ocasião, Amon chegou a dizer à imprensa “antes a mãe dele chorar do que a minha”, para justificar o motivo de ter matado Liu, já que alegava que estava sendo ameaçado. Amon não explicou os motivos das ameaças, apenas afirmou que não tinha dívidas de drogas com a vítima. “Fui atrás dele, pronto e acabou”, diz.

Amon chegou a confessar o crime

As investigações também apontam que o trio era sócio em um ponto de tráfico que arrendado da vítima, ao custo de R$ 300 por semana. Com isso, recebiam cobranças semanais e em uma dessas conversas Liu teria agredido um dos autores presos e proferido ameaças com arma de fogo.