Poços de Caldas continua na Lista Suja do trabalho escravo por conta de uma obra pública no Jardim Botânico em 2016, executada por uma empresa contratada. A lista é um cadastro de empregadores que tenham submetido trabalhadores a condições análogas à escravidão. A nova lista acrescentou 48 novas empresas e propriedades que foram fiscalizadas em 2018.

Criada em 2003, a base de dados expõe em que houve resgate dos trabalhadores. O Jardim Botânico foi incluído na lista após uma fiscalização do Ministério do Trabalho no canteiro de obras da empresa contratada TF Construções Ltda. Na ocasião oito funcionários foram resgatados. As informações são de que eles trabalhavam de forma degradante, vindos do Maranhão e há três meses sem receber. Além disso, eles não tinham equipamentos de segurança e proteção para o trabalho, dormiam em alojamentos interditados e sem as mínimas condições de moradia.

Poços foi incluída na lista pela primeira vez em 2017.

Publicidade