Publicidade
Acusado foi preso com comparsas minutos após o crime (fotos: Arquivo/Mariana Negrini)

Foi condenado em 1ª instância, no final do mês passado, Otávio Henrique Ruella, de 18 anos, pelo assalto praticado por ele e dois adolescentes em setembro de 2018 a uma joalheria. Otávio e os comparsas foram presos logo após o crime, ainda de posse dos objetos roubados. A sentença proferida no dia 28 de janeiro condenou o jovem a sete anos e oito meses de prisão, em regime semi-aberto.

Segundo a denúncia, no dia do crime o condenado e dois adolescentes, de 16 e 17 anos, estavam em um Fiat Uno produto de furto e foram até o estabelecimento, na rua Rio de Janeiro, por volta das 9h30. Otávio e um dos adolescentes entraram na joalheria e o primeiro, armado, anunciou o assalto dizendo que mataria as funcionárias caso não atendessem às suas ordens.

A dupla pulou o balcão, subtraiu algumas peças, avaliadas em cerca de R$ 5 mil, e fugiu. Uma das funcionárias conseguiu fugir no meio do assalto e acionar a Polícia Militar, mas quando a viatura chegou o trio já havia ido embora.

Publicidade

Os suspeitos foram encontrados instantes depois, na avenida José Remígio Prézia, e iniciou-se uma perseguição até a rua Coronel Virgílio Silva, quando ocorreu a prisão e a recuperação dos materiais roubados.

O réu confessou o crime ao ser preso em flagrante. Segundo ele, após brigar com a namorada no dia anterior, pegou um ônibus de Botelhos para Poços e passou a usar drogas, especificamente cocaína. Ele ainda afirmou que se juntou aos adolescentes na madrugada anterior ao crime.

Carro usado para dar fuga aos assaltantes tinha sido furtado por adolescente

Além do crime de roubo, Otávio foi denunciado por aliciamento de menores e porte de arma. A justiça considerou parcialmente procedente a denúncia e a soma das penas resultou em uma condenação de sete anos e oito meses de reclusão, sendo dado a ele o direito de cumprir a pena em regime semi-aberto.

O procedimento com relação aos adolescentes corre em processo separado.