Publicidade
Juninho foi preso nesta quarta-feira (foto: Mariana Negrini/Poços Já)

A Polícia Civil tem um novo desfecho para o assassinato de Lara Adélia Floriano, de 21 anos. O autor do crime seria o namorado dela, Edmo Geraldo Junior, de 33 anos, que já foi preso nesta quarta-feira (26) por força de uma prisão preventiva. Ele confessou o crime.

Porém, já havia sido preso em flagrante Rhuan Henrique Pereira Kariell, de 20 anos, na madrugada do dia 18. De acordo com o delegado Hernanni Perez Vaz, os trabalhos de investigação começaram com a comunicação do crime e a apresentação de Rhuan como suspeito, por ter sido localizado próximo à cena do crime, com características físicas e de vestimentas semelhantes à do autor. “A camiseta dele tinha resquícios de sangue humano e uma versão pouco convincente. O suspeito foi encaminhado ao IML e lá identificado que ele tinha ainda sangue debaixo das unhas. Ainda foram reconhecidas características dele pelas testemunhas presenciais, que levaram à ratificação da prisão em flagrante de Rhuan”, explica.

Imagens de câmera de segurança mostram Juninho com a vítima, minutos antes do feminicídio

“Mas, as investigações e a busca pela verdade continuaram para checar o álibi e foi verificada uma plausibilidade, foi encontrada uma imagem de circuito interno de segurança que mostrava o autor após a prática do crime indo em direção ao shopping, mas que ele não chegou a contornar sentido ao Véu das Noivas, mas sim adentrando um pasto à margem direita da via. Ao chegarmos nessa situação entendemos por bem comunicar o Ministério Público e o judiciário, para que analisassem a prisão cautelar de Rhuan e sugerimos a liberdade provisória, que foi acatada”, acrescenta o delegado.

Publicidade

Com Rhuan na rua, a polícia passou a buscar por elementos e provas que pudessem esclarecer o crime. Foi a partir de novas imagens de segurança que os investigadores chegaram ao namorado da vítima, Edmo Geraldo Junior, conhecido como Juninho, que trajava roupas similares às de Rhuan no momento do crime. A vítima conheceu o rapaz em uma clínica de reabilitação e há cerca de um mês estava morando com ele em Poços.

“Em um primeiro momento ele negou participação no crime, mas acabou confessando diante das provas e disse que agiu desta maneira porque não estava mais aguentando a namorada subtraindo objetos de dentro de casa para trocar por drogas. Explicou ainda que naquela data ela teria sumido com um aparelho de celular dele e, com raiva, ele teria se armado com a faca e a chamado para usar drogas no terreno baldio onde se deram os fatos”, explica o delegado.

Delegado explicou o caso nesta quarta-feira (foto: Mariana Negrini/Poços Já)

Hernanni pontua ainda que após a execução Juninho fugiu a pé. Ele deixou a faca e um óculos no mato próximo ao shopping e as roupas em um ponto de ônibus. Os óculos e a calça foram apreendidos. A procura pela arma continua.

Agora Juninho ficará no presídio por pelo menos 30 dias, podendo ter a prisão convertida em temporária. Ele deve ser indiciado por homicídio qualificado, devido ao fato dele ter um relacionamento com a vítima, chegando ao feminicídio, mas a polícia ainda investiga outras qualificadoras.