Publicidade
Fachada do Conselho Tutelar tem mensagem de protesto (foto: Tatiana Espósito/Poços Já)

No Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração de Crianças e Adolescentes, 18 de maio, os números assustam. Em pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a média de casos de abusos sexuais no Brasil é de 527 mil por ano e, destes, em 368.900 as vítimas são crianças e adolescentes. Em Poços de Caldas, segundo dados do Conselho Tutelar, 31 casos foram registrados no segundo semestre do ano passado. Porém, esse número pode ser bem maior.

A conselheira Lucimara da Silva Simões acredita que os números podem ser maiores na cidade porque o órgão trabalha somente com os casos que chegam até lá. Muitos não são denunciados ou chegam somente até aos Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) do município. As denúncias que chegam ao conselho são de mães, pais, parentes, conhecidos e até mesmo da própria vítima. Lucimara conta que, assim como no Brasil, a maioria dos casos de abuso em Poços é cometida dentro do ambiente familiar, chegando a 80% dos registros. O trabalho do Conselho Tutelar , quando constatado o caso de abuso, é orientar a família, encaminhar para que a ocorrência seja levada à Policia e cercar a vítima de todo acolhimento que ela necessite. “O trabalho de prevenção acaba sendo menor, porque devido às demandas do conselho não conseguimos ir tanto às escolas falar sobre o tema, mas pelo menos dentro deste mês de maio a gente tenta fazer um trabalho mais próximo”, justifica.

A data

Publicidade

O dia 18 de maio foi instituído como Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes porque este foi o dia do desaparecimento da menina Araceli Cabrera Crespo, em Vitória (ES) no ano de 1973. Aos oito anos, Araceli foi sequestrada, drogada, estuprada, morta e carbonizada. O corpo foi encontrado seis dias depois em uma mata em avançado estado de decomposição.

O caso chocou o país principalmente porque, depois de várias versões do crime, nunca foi verdadeiramente solucionado. O processo foi arquivado pela justiça depois do julgamento e absolvição dos acusados, por falta de provas.

Hoje, depois de 45 anos, a data é vista como uma forma de reflexão sobre o tema e de reafirmar a importância da denúncia e da punição dos abusadores. “É dia para se refletir, ensinar a criança, sensibilizar a população a denunciar, a ficar atenta, então é um dia de conscientização. De luto, mas de conscientização”, finaliza a conselheira.

Ato

Para marcar a data, o Conselho Tutelar de Poços de Caldas organizou um ato de luto e enfrentamento ao abuso sexual de crianças e adolescentes na cidade. A concentração acontece nesta sexta-feira (18), às 16h, em frente ao Fórum, e segue até o terminal de linhas urbanas, onde haverá protesto silencioso (um minuto de silêncio).

Denúncia

No Brasil existe o Disque 100, criado pela Secretaria de Direitos Humanos, que funciona como um serviço de recebimento, encaminhamento e monitoramento de denúncias de violência contra crianças e adolescentes. Os casos de Poços recebidos pelo Disque 100 são encaminhados aos Conselhos locais que dão andamento às denúncias.

Publicidade