Publicidade

A Polícia Civil prendeu, no dia 18 de abril, João Paulo Miguel de Sousa, de 26 anos, acusado de ter matado Everton da Silva Teixeira, de 26 anos, em março. O caso chamou a atenção da cidade por ter sido o segundo crime de homicídio no mesmo dia.

João Paulo foi preso por força de mandado (foto: Polícia Civil)

João Paulo foi preso por força de um mandado de prisão temporária, expedido pela justiça após o levantamento que comprovaram a participação do mesmo no crime. O rapaz ficou foragido por um tempo, se escondendo em matas da cidade, até que contratou um advogado que negociou sua apresentação e  também da arma usada no crime. No dia 18 de abril  ele foi à delegacia e se apresentou, mas não entregou a arma do crime.

Segundo a Polícia Civil, a execução de Everton se deu no dia 31 de março, por volta das 20h, na rua Diná Alves Miglioranzi, bairro São José. João Paulo teria disparados várias vezes contra Everton, cinco tiros o atingiram, sendo dois na perna esquerda, um no lado esquerdo do tórax, outra do lado esquerdo do queixo e outra na cabeça.

Publicidade

A polícia apurou que João Paulo e Everton vinham se estranhando havia alguns dias. A vítima e um rapaz teriam vindo de Machado para Poços de Caldas e estariam vendendo drogas na rua Mariana, no mesmo bairro em que ocorreu o crime, onde João Paulo já fazia o tráfico. Após inúmeras discussões e ameaças pelo ponto, aconteceu a execução.

Everton foi executado com cinco tiros (foto: Arquivo/PM)

As investigações apontam ainda que no dia do crime, a vítima teria ido a casa do autor, onde fez ameaças ao pai dele e a ele. Instantes depois, o pai de João Paulo e Everton teriam brigado na rua. Quando João Paulo chegou em casa e soube das ameaças, teria pego uma arma, a motocicleta do pai e saiu de casa alegando que iria matar o rival.

Antes de encontrar a vítima, João Paulo teria dado a moto para um comparsa e conseguiu encontrar Everton na rua Diná Alves Miglioranzi, onde eles discutiram novamente e o autor executou o crime.

Quando Everton já estava caído, o rapaz que estava com a motocicleta do pai de João Paulo chegou, chutou o corpo, e a dupla iniciou a fuga. Junto ao corpo da vítima foram apreendidas duas facas.

Ao depor na delegacia, o autor confessou o crime, mas negou que a motivação seja o ponto de tráfico. Ele diz que desde que Everton chegou à cidade, ele o olhava torto.

A polícia investiga agora o real envolvimento do rapaz que conduzia a moto no crime. Por enquanto, não há indícios da participação dele na execução. Os policiais aguardam a entrega da arma para apresentar o caso a polícia, mas isso ainda não aconteceu.

Publicidade