Publicidade
Segundo Cláudia Palagano, Receita tem ferramentas para cruzar informações (foto: Juliano Borges/Poços Já)

Termina dia 28 de abril o prazo para a declaração do Imposto de Renda 2018. Pensando nisso, o Poços Já Cidade procurou a contadora Cláudia Palagano, do Minas Contábil, para entender qual o erro mais comum na hora de preencher a declaração. A resposta dela é simples: omissão.

Dados referentes a venda de imóveis, doações e valores provenientes de processos judiciários muitas vezes ficam de fora das declarações, seja por falha do contribuinte ou propositalmente. Porém, casos assim sempre caem na malha fina, segundo a contadora. “Chega a ser inocente querer enganar a Receita. Omitir informações é um erro básico e que muita gente comete”, observa Cláudia.

Ela também revela que é comum ver empresários que declaram pró-labore abaixo da realidade e acabam sendo flagrados pela fiscalização. Isso acontece porque a Receita tem muitos meios de cruzar dados e apontar as declarações mentirosas. “Muitos declaram um salário mínimo e ao longo do ano adquirem bens de valores que não correspondem a essa renda. As operações de cartão de crédito, por exemplo, são todas informadas à receita”, explica a contadora.

Publicidade

Em resumo, ela afirma que é importante a ajuda de um profissional para que os contribuintes tenham toda a informação necessária e não caiam na ilusão de ludibriar a Receita Federal. “Todos são alvo da Receita. Foi-se o tempo em que as micro e pequenos empresários passavam desapercebidos, agora todos são investigados a fundo. É bobagem querer enganar o fisco”, conclui.

* O Minas Contábil fica na rua Barão do Campo Místico, 840/2. Mais informações pelo telefone 3713-6781.

Publicidade