Publicidade

Após meses de incerteza, finalmente a rede de cursos pré-vestibulares Educação e Cidadania de Afrodescendentes Carentes (Educafro) conseguiu um espaço para ministrar as aulas em 2018. Elas vão acontecer nas dependências do Instituto Federal, campus Poços de Caldas, na zona sul do município.

“Após as buscas de antigos parceiros em janeiro, a matéria expondo a situação do pré-vestibular em fevereiro e muitas conversas com pessoas, entidades e igrejas, nos foi oferecida uma sala nas dependências do Instituto Federal”, conta o coordenador, professor e voluntário da Educafro, Tiago Mafra.

Instituto cede sala e Educafro vai oferecer curso pré-vestibular a 35 pessoas (foto: Divulgação)

Mais do que uma sala de aula, o instituto vai ainda disponibilizar o uso de todas suas dependências, como bibliotecas, salas de informática e teatro ao longo de 2018. “A parceria é uma vitória para comunidade, para os voluntários e para o projeto. Garante a continuidade e principalmente a oferta do curso preparatório para aqueles que buscam uma vaga na universidade pública”, destaca o coordenador.

Publicidade

Mafra ainda afirma que o local é muito favorável, por incentivar os alunos. “O ambiente e a estrutura universitária tornam-se estímulos para os alunos de que o acesso à educação pública de qualidade é algo possível e próximo deles. Já vivemos isso na UEMG e teremos essa experiência novamente garantida no IF”, acrescenta.

Inscrições

A notícia de que teriam onde oferecer as aulas foi logo seguida de tarefa. Coordenadores e professores montaram o cronograma e as aulas estão previstas início no dia dois de abril. Assim, de 12 a 18 de março será feita a divulgação das vagas, com datas e horários para as inscrições. Entre os dias 19 a 23 de março, das 19h às 22h, na sala do cedida pelo IF será realizado o cadastro dos interessados.

Podem se inscrever estudantes de baixa renda provenientes da escola pública ou com bolsa integral em escolas particulares. É necessário levar uma foto 3×4 e cópias dos comprovantes de renda familiar (holerites de quem mora na mesma residência dos candidatos à vaga). A seleção segue não só critérios socioeconômicos, mas também étnicos e de idade, ou seja, ser afrodescendente e estar há mais tempo sem estudar conta para ser selecionado, para que o curso tenha caráter mais inclusivo.

Depois, entre de 26 a 30 de março será realizada a análise das fichas, seleção e informe aos selecionados. Serão ofertadas 35 vagas.

O que é Educafro

Educafro é um movimento social fundado na Baixada Fluminense nos anos 1990, cujo trabalho em rede pelo Brasil caracteriza-se em promover o acesso ao ensino superior em universidades públicas. Em Poços de Caldas há mais de doze anos, é uma organização não governamental (ONG) de fato, ou seja, não recebe qualquer tipo de verba do Estado, e fundada na cidade pela ONG Credhep (Centro Regional de Direitos Humanos e Educação Popular), já tendo funcionado no Colégio Jesus Maria José, na Casa das Irmãs Dominicanas e no Centro Catequético da Igreja São Judas Tadeu.

O Educafro desvinculou-se do Credhep em 2011, mas manteve seu núcleo batizado como Laudelina de Campos Melo, uma homenagem à militante poços-caldense que fundou o primeiro sindicato de domésticas no país. Apesar do apoio da Igreja Católica, o curso tem caráter secular, não sendo critério de seleção a preferência religiosa. O Educafro diferencia-se também de um pré-vestibular convencional por possuir em sua grade uma disciplina denominada Cultura e Cidadania, na qual são abordadas questões sociais e discutidas soluções para superar as desigualdades por meio do pleno emprego dos direitos humanos. Entre as universidades públicas nas quais os alunos do núcleo local da Educafro já ingressaram estão a Unicamp, USP, Unesp, Unifal e UEMG.

 

Publicidade