Publicidade

Osmair Pereira Brasil, de 29 anos, foi condenado nesta quinta-feira (8) a 17 anos e 6 meses de prisão, em regime fechado, por ter matado Tuani Pereira Castilho no ano passado. Ele era acusado de homicídio qualificado, por impossibilidade de defesa da vítima e por violência doméstica. Tuani era mãe dos três filhos dele.

O suspeito foi preso um dia após o crime, quando o corpo da vítima foi encontrado pelos filhos do ex-casal. Ele permanecia preso e, após a sentença proferida pelo juiz Robson Luiz Rosa Lima, foi levado de volta para o presídio local.

O crime

Publicidade

Tuani foi encontrada morta no dia 22 de fevereiro pelos filhos dela. A criança mais velha, na época com seis anos, correu até a casa de uma vizinha e disse à tia que a mãe estava fria, caída no chão, em meio a uma poça de sangue. O garoto e os irmãos, com idade de cinco e dois anos, presenciaram a cena, mas foram tirados do local pouco antes da chegada da polícia. Para eles, o cachorro do vizinho foi quem matou a mãe.

A polícia foi acionada e ao investigar o caso encontrou na casa do autor roupas sujas de sangue. Ele estava no frigorífico em que trabalhava. Em depoimento na delegacia, confessou ter agredido Tuani na noite anterior, mas afirmou que não teve intenção de matá-la. Ainda alegou que ela teria caído sobre um espeto de churrasco. Disse ainda que ela apresentava um pequeno sangramento na boca e que ele teria tirado o espeto das costelas de Tuani, jogado no quintal da casa e deixado o local enquanto ela ainda estava viva.

Publicidade