Publicidade
Prefeitura de Poços de Caldas
Publicidade
Prefeitura de Poços de Caldas
Publicidade
Prefeitura de Poços de Caldas
Publicidade
Prefeitura de Poços de Caldas
Publicidade

A classe artística poços-caldense publicou, na noite de quinta-feira (30), um vídeo no qual cobra ações efetivas da prefeitura quanto às políticas culturais durante a pandemia. Também foi escrita uma carta aberta ao prefeito Sérgio Azevedo (PSDB), até o momento com 193 assinaturas.

Vídeo foi publicado nas redes sociais

O decreto publicado na terça-feira (28) suspende os editais em andamento e proíbe apresentações artísticas nos bares, mesmo permitindo a abertura dos estabelecimentos. Porém, não há iniciativas que deem uma resposta aos artistas locais. Entre as sugestões da categoria, está a criação de um edital para a produção de apresentações ao vivo nas redes sociais. Os artistas também pedem os pagamentos das apresentações do Carnaval e a elaboração de um plano emergencial para a cultura.

Vídeo circula nas redes sociais

O vídeo, publicado em diversas redes sociais, tem declarações de 27 artistas, produtores e empreendedores culturais das áreas de teatro, música, dança e literatura: Valber Rodrigues, Nando Gonçalves, Larissa Freitas, Wolf Borges, Valéria Freitas, Chiara Carvalho, Gabriel Sá, Aluísio Cavalcante, Tim Alan Wagner, Jéssica Balbino, Bibi Rodriguez, Clisthenis Betti, Tadeu Rodrigues, Angélica Vianna, Gisele Corrêa, Daniela Alvisi, Nego Moura, Dani Vilas Boas, Flávia Jorge, Will Moreira, Isabela Viana, Cy Rodrigues, Danielle Marques, Évila dos Anjos, Gilbão Leeu, Adeline dos Santos e Ricardo Malabi.

Confira algumas declarações:

“Poços de Caldas tem sido reconhecida como uma cidade que tem, na cultura, um fator de desenvolvimento econômico, bem-estar social, cidadania e a própria identidade da nossa cidade. Espero que, diante  desse enorme desafio que acometeu o nosso planeta, ela seja mais uma vez a cidade que vem a dar um bom exemplo, de oferecer sustentabilidade para a categoria artística, que tanto precisa” – Wolf Borges (músico).

“Artistas, fazedores de cultura e uma série de pessoas movimentam a economia e têm um papel importante na nossa cidade. Por isso, a manutenção dos editais já previstos e a criação de outros mecanismos de fomento é mais do que essencial” – Chiara Carvalho (produtora cultural).

“Nas propagandas da cidade para atrair turistas, o nosso trabalho está lá como a cara de uma cidade que produz cultura. E a população de Poços, não precisa de cultura?” – Gabriel Sá (músico e ator).

“Prefeito, empresário de cultura não é empresário? Microempreendedor de cultura não é microempreendedor? Trabalhador da cultura não é trabalhador? Qual é o plano emergencial pra essa cadeia e pra essas famílias que estão ficando sem comida, o que o senhor oferece ao retirar os investimentos que seriam feitos?” –  Valber Rodrigues (ator e diretor).

Carta aberta

A carta aberta foi entregue à prefeitura na terça-feira, direcionada ao gabinete do prefeito, com cópias para as secretarias de Cultura e Desenvolvimento Econômico e Trabalho, além da Câmara Municipal. O conteúdo critica a falta de diálogo do Executivo com o setor cultural e sugere diversas ações para o plano emergencial.

Entre as sugestões, estão editais que atuem em diversas frentes, como produções durante a quarentena, com disponibilização em rádio, TV e internet, e produções educativas para colaborar com a Secretaria Municipal de Educação durante esse período.

“Sobretudo, um plano de crise para o setor cultural do Município, visto que o impacto econômico e social pode desconstruir décadas de trabalho e que isto vai, de qualquer maneira, marcar a história local com seus devidos agentes políticos da ocasião”, argumenta a carta.

O texto completo do documento pode ser lido clicando aqui.