Publicidade USK Callan


Os avanços em todas as áreas da Medicina Veterinária, desde o aperfeiçoamento nas técnicas de diagnóstico-tratamento, a maior oferta de fármacos e a manipulação de dietas específicas, tornaram possível o aumento na longevidade dos animais de companhia.

O envelhecimento de cães e gatos se dá de forma diferente. Nos cães devemos levar em consideração o porte do animal e não só a idade, já os felinos envelhecem de forma uniforme, independente do porte e raça.Você já deve ter percebido que animais de pequeno porte chegam facilmente aos 15-20 anos de idade e cães de grande porte como labrador, golden e bernese vivem em média 13 anos ou menos.

Com a falta de atividade, o metabolismo diminui cerca de 30 a 40%. É claro que a falta de estímulo faz o animal ficar deitado e o peso aumenta muito. Felinos tendem a dormir 18 horas na fase adulta e a falta de atividade física leva ao aumento do peso corpóreo e sobrecarrega as articulações, além da atrofia muscular. Estas alterações causam dor no paciente idoso.

Na reabilitação os exercícios físicos são direcionados de acordo com a necessidade do paciente e não tem idade para começar o tratamento. Alguns pacientes do centro de reabilitação Gatino Fitness têm em torno de 18 anos e foram trazidos pelos tutores pois apresentavam artrose, insuficiência renal, diabetes e várias doenças que aparecem com o avanço da idade.

O animal chega ao centro de reabilitação com dores e atrofia muscular, daí é definido o protocolo de tratamento. Realizamos terapias que diminuem as dores, como alongamentos, massoterapia, utilizamos lazer terapêutico e acupuntura. O tutor já percebe a diferença logo após a primeira sessão. Animais que não toleravam passeios começam a interagir com os moradores da casa, voltam a subir no sofá e aumentam o apetite. O condicionamento físico do paciente melhora.

Paciente com 17 anos de idade, diagnóstico de insuficiência renal crônica. Está na esteira com água para diminuir dores e  melhorar alongamento dos membros (foto: arquivo Gatino Fitness)

A fisioterapia dentro do programa da reabilitação evita que o paciente precise de medicamentos para controle de dor. Isso é uma vantagem, pois animais idosos produzem menos suco gástrico e podem apresentar úlceras com alguns anti-inflamatórios.

O exercício ajuda a fortalecer a musculatura, melhora a cognição e a memória. Pacientes idosos tendem a trocar o dia pela noite e apresentam distúrbios cognitivos (fazem xixi no local errado, andam em círculos, etc).

A equipe Gatino Fitness conta com profissionais especializados para definir uma suplementação ideal para o paciente idoso, além de toda a reabilitação, que é individualizada para cada perfil de paciente.

Paciente de grande porte com 15 anos realizando alongamento na bola de pilates (foto: arquivo Gatino Fitness)

É ideal trabalhar com a prevenção. Comece não deixando seu animal exceder o peso ideal, diminua acesso a comidas muito temperadas, leve o animal para caminhadas e consulte um médico veterinário para que seu melhor amigo envelheça com saúde.

*Maura Dias é médica veterinária formada pela Puc Minas Poços de Caldas, pós-graduada em Fisioterapia e Acupuntura pela Unip São Paulo, pós-graduanda em Ortopedia e neurologia pelo IBRA-Instituto Brasileiro de Reabilitação Animal e médica veterinária responsável pela Gatino Fitness, primeiro centro de reabilitação do sul de minas. Atua nas áreas de cirurgia geral, nutrição e reabilitação da Clinicão Veterinária Poços de Caldas, com ampla experiência em atendimento de urgência e emergência pelo hospital Clinicão.

Publicidade