Publicidade USK Callan


O herpes labial é comum e provoca feridas que surgem devido a estresse e baixa imunidade. Porém, o que poucos sabem é que também é possível desenvolver o mesmo problema nos olhos, como explica o médico oftalmologista Carlos Aterje.

O vírus causador do herpes ocular é o mesmo do labial e provavelmente está presente na maioria das pessoas. Ao contrário dos vírus do herpes genital e zóster, no caso oftalmológico a transmissão pode acontecer por meio do contato direto com saliva, secreção nasal ou com o conteúdo líquido das lesões. A doença se manifesta em momentos de descontrole emocional e baixa imunidade, mas também há outros fatores de risco, como exposição excessiva ao sol e viroses.

Entre os sintomas estão olho vermelho e lacrimejante, dor ocular, visão turva, ardência, fotofobia, surgimento de edema e sensação de corpo estranho nos olhos. O tratamento pode incluir comprimidos e pomadas cujo princípio ativo seja o aciclovir.

Caso o herpes atinja a córnea, a infecção fica mais grave e precisa ser tratada com corticoides. Forma-se uma úlcera dendrítica, ou seja, uma lesão no formato das folhas de samambaia. É possível que ocorra perda visual, catarata, uveítes e problemas na retina.

Por isso, o dr. Carlos Aterje reforça a importância de se adotar medidas que possam prevenir o herpes. “Ter alimentação balanceada e cuidar também da saúde mental são aliados na prevenção de diversas doenças, inclusive oftalmológicas”, comenta o médico.

Publicidade