Publicidade
Médico oftalmologista explica causas e tratamento do terçol (foto: Juliano Borges/Poços Já)

Blefarite, coçar os olhos, miopia e astigmatismo são causas comuns do terçol. Porém, há um inesperado gatilho para este problema: o estresse. De acordo com o dr. Carlos Aterje, o estado nervoso diminui a imunidade e ainda aumenta a oleosidade da pele, o que contribui para a inflamação da pálpebra.

O terçol não é contagioso, ao contrário do que muitos pensam, mas tem causa bacteriana e pode incomodar. Esta inflamação das glândulas Zeiss e Mol provoca a formação de um cisto nas pálpebras e em geral vem acompanhada de coceira e dor.

Publicidade

O tratamento dura cerca de 15 dias, segundo o médico. “É feito à base de pomadas antibióticas, com corticoides, e compressas quentes, para ajudar a drenar o pus. Às vezes, recomendo antibiótico via oral”.

É importante consultar um oftalmologista sempre que algum problema surgir. O terçol, por exemplo, pode ser confundido com o calázio, provocado pela inflamação da glândula de Meibômio. Esse processo inflamatório não é produzido por bactérias e, mesmo depois de controlado, ainda pode haver lesão na pálpebra.

O Centro Oftalmológico Carlos Aterje fica na rua Ceará, 188. Mais informações pelo telefone (35) 3722-2808.

Publicidade